segunda, 16 de julho de 2018

Bonecas perdem terreno para celulares e jogos

10 OUT 2010Por 04h:00

Embora o Dia das Crianças seja a segunda melhor data do ano para quem vende brinquedos, alguns comerciantes não têm tido tantos motivos para comemorar. No Camelódromo, os eletrônicos e celulares a preços acessíveis se tornaram grandes concorrentes das tradicionais bonecas e carrinhos e têm derrubado em até 50% as vendas desses produtos.
“Hoje as crianças que vêm escolher os presentes preferem celulares, videogames e computadores”, diz a comerciante Ângela Marinho, ao mostrar o estoque de brinquedos que ficou encalhado neste Dia das Crianças. A dona da banca já contabiliza queda de, pelo menos, metade nas vendas em relação ao mesmo período do ano passado e por conta disso vai mudar de ramo e trocar os brinquedos por malas e bolsas a partir da próxima semana.
Outra comerciante, Rosana Queiroz, diz que os brinquedos ainda têm alguma procura apenas pelas  crianças pequenas. Cristina Lopes, mãe de duas meninas, uma de cinco e outra de 11 anos, confirma a informação da comerciante. “Para a mais nova ainda estou conseguindo comprar uma boneca, mas a outra já quer um notebook”, conta.
Os aparelhos eletrônicos e celulares no local chegam a ser até 50% mais baratos do que no comércio formal. A Fecomércio estima que cerca de 21,7% dos R$ 17,5 milhões vendidos neste Dia das Crianças, cerca de R$ 3,8 milhões, deverão ser no comércio informal (feiras e Camelódromo). (AM)

Leia Também