Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

BRINCADEIRA PERIGOSA

Bombeiros orientam sobre os perigos de soltar pipa e cerol

Bombeiros orientam sobre os perigos de soltar pipa e cerol
15/08/2012 00:00 - notícias ms


Uma das brincadeiras preferidas ao ar livre das crianças é empinar pipa ou papagaio, especialmente nos mês de julho e agosto, época de férias e muito vento. Mas tal brincadeira transforma-se em perigo quando entra em cena o cerol, uma mistura de cola e vidro, que é passada na linha da pipa.

Utilizado pela maioria dos garotos para “torar” a linha de outras pipas, consideradas como “adversárias”, o cerol pode cortar e ferir motociclistas, ciclistas e até pedestres que passam pelo local.

O uso do cerol é proibido pela Lei nº 7.189/86, e os responsáveis pelos menores envolvidos em acidentes relacionados ao uso são responsabilizados.

O Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso do Sul (CBMMS) dá as seguintes dicas de segurança: não soltar pipas em dias de chuva, principalmente se houver relâmpagos; evitar brincadeiras perto de antenas, fios telefônicos ou cabos elétricos; procurar locais abertos como praças e parques; tentar soltar pipa sem rabiola, como as arraias, pois na maioria dos casos, a pipa prende no fio por causa da rabiola; não empinar pipa em cima de lajes e telhados; jamais utilizar linha metálica, como fio de cobre de bobinas ou cerol; não fazer pipas com papel laminado, o risco de choque elétrico é grande; ter atenção especial com as motociclistas e ciclistas — a linha pode ser perigosa para eles e ficar atento para que a linha não entre na frente deles.

Se a pipa enroscar em fios, não tentar tirá-la, é melhor fazer outra e nunca usar canos, vergalhões ou bambus, orienta o Corpo de Bombeiros. Também a orientação é ter cuidados com o trânsito ao correr atrás das pipas. 

Felpuda


Certa pré-candidatura à Prefeitura de Campo Grande nasceu com grandes brechas que certamente serão usadas pelos adversários no período da campanha eleitoral, segundo voz corrente nos bastidores políticos. Uma delas: como o postulante vai dizer que fará boa administração se no período em que administrou conhecida instituição passou boa parte do tempo reclamando de crise financeira e ameaçando fechar as portas?