quarta, 18 de julho de 2018

mais de 10 vítimas

Bombeiros morrem soterrados no Rio de Janeiro

12 JAN 2011Por ESTADÃO08h:34

Os desabamentos causados pela chuva já causaram ao menos 13 mortes em cidades da Região Serrana do Rio. As últimas quatro vítimas são bombeiros que foram soterrados na manhã desta quarta-feira, 12, quando faziam um resgate de vítimas de um deslizamento de terra em Nova Friburgo. O número ainda pode subir, pois outros três integrantes da equipe estão desaparecidos.

Só na cidade, ao todo, sete pessoas morreram, segundo informações do Corpo de Bombeiros. Um dos primeiros deslizamentos, ontem a tarde, causaram duas mortes no bairro Olaria, em Nova Friburgo, após o desabamento de um prédio de dois andares. Entre as vítimas está uma criança. Outras duas pessoas foram socorridas com vida do local, mas não há informações sobre o estado de saúde delas.

Em Teresópolis, o número de mortos chega a seis, de acordo com a Defesa Civil local. O vice-governador do Rio, Luiz Fernando Pezão está a caminho da região neste momento. O acesso à Região Serrana está dificultado por várias quedas de barreira na BR-116, que liga o Rio a Teresópolis, nos dois sentidos.

Já a Defesa Civil de Petrópolis informou que haveria duas vítimas de deslizamentos nas localidades do Brejal e Vale do Cuiabá, mas as equipes estão com dificuldades de chegar até os locais. Deslizamentos de terra impedem a passagem em várias localidades de Corrêas, Araras e Vale do Cuiabá. Equipes da Secretaria de Obras já foram mobilizadas para liberar as vias. Alguns deslizamentos de terra também atingiram parcialmente casas dessas regiões.

Segundo os bombeiros, foram registrados cerca de 80 chamados na Região Serrana, entre ontem e esta madrugada, sendo a maioria de deslizamentos de terra e inundações. A corporação informou que ainda contabiliza o número de feridos na cidade.

Em entrevista à rádio CBN, o coordenador da Defesa Civil de Friburgo, coronel Roberto Robadey, disse que o volume de chuvas chegou a 260mm em 24 horas - em janeiro de 2010, o volume foi de 180 mm. "Quem tiver passado a noite em lugar seguro e estiver isolado não deve sair", pediu.

Leia Também