Campo Grande - MS, quarta, 15 de agosto de 2018

600 pessoas

Bombeiros detidos após invasão de quartel entram em greve de fome

4 JUN 2011Por Laís Camargo13h:00

Em forma de protesto, bombeiros militares do Rio de Janeiro presos após a invasão do quartel-general da corporação entraram em greve de fome, segundo um dos comandantes da greve, Cabo Benevenuto Daciolo.

“Convocamos toda a população do estado do Rio de Janeiro contra este crime que está sendo feito contra os bombeiros militares do Estado e contra este governo ditatorial do senhor Governador Sérgio Cabral. Somos trabalhadores e entramos em uma unidade militar aonde trabalhamos”, disse o cabo.

Ele confirmou ainda que uma mulher, esposa de um militar que estava dentro de uma unidade e que está grávida, passou mal na invasão e perdeu a criança. Ela foi levada para o hospital da corporação no bairro do Rio Comprido, na Zona Norte da cidade, aonde está sendo atendida.

Os bombeiros foram presos após confronto com as forças do Batalhão de Choque e do Bope no início deste sábado. Há pouco, eles foram conduzidos de ônibus do Batalhão para a Sede da Corregedoria, em São Gonçalo.


Mais cedo, os militares confirmaram que bombeiros de folga e familiares estão sendo convocados pela direção da greve a ocuparem quartéis em todo o Estado do Rio de Janeiro. O movimento é uma represália à prisão dos militares que invadiram o quartel-general na noite de ontem. Segundo os militares, somente casos de extrema emergência estão sendo atendidos, como acidentes de trânsito e incêndios.

Governo

O governador do Rio, Sérgio Cabral, está reunido desde as 8 horas da manhã deste sábado com assessores no Palácio Guanabara, para fazer um diagnóstico do confronto. Cabral montou um gabinete de crise para avaliar a situação e dará uma entrevista coletiva sobre o assunto.

Com informações do iG

Leia Também