Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Fair play financeiro

Bom Senso FC quer controle de dívidas

18 MAR 14 - 00h:00BAND

Em um evento realizado nesta segunda-feira, no auditório da unidade Barra Funda da Uninove (Universidade Nove de Julho), em São Paulo, o Bom Senso FC apresentou para jornalistas sua proposta de fair play financeiro para o futebol brasileiro e um novo modelo de calendário para o futebol nacional.

Os goleiros Dida (Inter), Roberto (Ponte Preta) e Fernando Prass (Palmeiras) explicaram a estratégia, que inclui a criação de uma entidade reguladora até 2016, para instituir um controle das dívidas dos clubes.

A entidade, que custaria em torno de R$ 3 milhões por ano, seria responsável por monitorar o pagamento de salários, avisar os clubes dos prazos e avaliar documentos, que seriam enviados pelos clubes registrados na CBF.

De acordo com a proposta, o déficit dos clubes não poderia ser superior a 10% da renda nos dois primeiros anos e, depois do terceiro ano, passaria a ter limite de 5%. A partir do quinto ano, os clubes estariam proibidos de ter qualquer déficit.

Além do limite de déficit, os clubes também estariam proibidos de investir valor superior a 70% de suas receitas.

A proposta prevê que o período até o fim de 2015 serviria para a constituição da agência reguladora, levantamento de dívidas e padronização dos balanços dos clubes.

Depois da apresentação da proposta de fair play financeiro, o Bom Senso mostrou sua ideia para o novo calendário do futebol brasileiro. No novo formato, a Série D ganharia novos integrantes, seria criada uma Série E regionalizada e os estaduais se transformariam em copas no formato mata-mata.

No novo calendário, os campeonatos nacionais, que hoje começam em abril, teriam início em fevereiro e os estaduais, que hoje são disputados entre janeiro e abril, começariam entre o fim de junho e início de julho.

“Nossa ideia é adequar nosso calendário ao do futebol europeu, não no que diz respeito a início e fim, pois lá os campeonatos começam no meio de um ano e terminam no meio do outro, mas no que diz respeito ao tempo de disputa”, disse Fernando Prass.

De acordo com os jogadores que integram o Bom Senso FC, a ideia é melhorar a organização dos campeonatos sem aumentar o número de partidas, o que garantiria um alto rendimento esportivo e contratos válidos por uma temporada.

Para os times pequenos, a quantidade de jogos oficiais aumentaria, incentivando a chegada de novos patrocinadores, gerando mais renda. No caso dos clubes maiores, a ideia é diminuir o número de jogos e reduzir as folhas de pagamento.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Mais famílias campo-grandenses conseguem pagar as dívidas
APONTA PESQUISA

Mais famílias campo-grandenses conseguem pagar as dívidas

Agehab dá dez dias para mutuários regularizarem dívidas
INTERIOR

Agehab dá dez dias para mutuários regularizarem dívidas

União agilizará reconhecimento de emergência por queimadas em MS
DIZ MINISTRO

União agilizará reconhecimento de emergência por queimadas em MS

Investigações contra agressor de Bolsonaro podem ser retomadas
PRESO EM CAMPO GRANDE

Agressor de Bolsonaro pode voltar a ser investigado

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião