Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Bolívia usará tecnologia para detectar e devolver carros roubados

4 JUL 12 - 03h:00uol

Quem tiver o carro roubado e que consiga comprovar a sua procedência poderá ter o veículo de volta na Bolívia. Para que isto seja possível, o governo boliviano firmou uma parceria com a Smart Water América Latina, empresa especializada em identificação de bens, para arbitrar o processo. A decisão foi tomada depois da repercussão gerada pela “Lei de Chutos”, que legaliza veículos estrangeiros que circulam na Bolívia sem documentação.

O Governo daquele país quer identificar a procedência dos veículos e quando confirmada a procedência, fazer a devolução dos mesmos. Esta identificação será feita de várias formas, entre elas, veículos que estejam marcados com o produto Smartwater,um líquido transparente equivalente a uma impressão digital, muito utilizado pela polícia britânica para localizar criminosos, identificar bens roubados e cargas desviadas. Quando exposto a luz ultravioleta, o mesmo brilha e, a partir daí, amostras são coletadas para identificação da procedência do bem marcado.

“O Smartwater é o resultado de uma combinação química de até 22 elementos inorgânicos da tabela periódica.Variando a concentração dos elementos, é possível fabricar infinitas amostras,equivalentes a impressões digitais”, explica Álvaro Velasco, Presidente do Grupo Tracker, distribuidor autorizado do produto no Brasil.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

RECUPERAÇÃO JUDICIAL

Anac notifica Avianca por não atender reclamações de passageiros

FRANÇA

Dois meses após incêndio, Notre-Dame tem primeira missa

Canadá bate Nova Zelândia <br>e avança às oitavas do Mundial
COPA DO MUNDO FEMININA

Canadá bate Nova Zelândia e avança às oitavas do Mundial

Venezuela e Peru estreiam com 0 a 0 para 13 mil pessoas na Arena Grêmio
COPA AMÉRICA

Venezuela e Peru estreiam com 0 a 0 para 13 mil pessoas

Mais Lidas