Domingo, 25 de Fevereiro de 2018

INVESTIMENTO

BNDES terá menos recursos neste ano

11 JAN 2011Por AGÊNCIA BRASIL00h:02

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES), Luciano Coutinho, afirmou ontem que, neste ano, o banco reduzirá o montante de desembolso, em relação a 2010, embora tenham planos de investir em inovação tecnológica.

Coutinho lembrou que o ministro da Fazenda, Guido Mantega, já tinha anunciado que o banco receberia menos recursos este ano e disse que a meta da instituição em 2011 será trabalhar "de tal maneira à incentivar o setor privado".

"Queremos que o setor privado compartilhe o financiamento junto com o BNDES. E, em 2011, o nosso objetivo não é ampliar o desembolso, mas melhorar a qualidade daquilo que a gente faz", afirmou após assinatura de contrato com a prefeitura do Rio para parceria no projeto do Bus Rapid Transit (BRT), no qual será incentivado o uso de motores elétricos híbridos (LINK).

O presidente do BNDES também explicou que a carteira da instituição foi expandida nos últimos anos para ajudar na recuperação da economia brasileira, em função da crise financeira mundial, que levou à escassez do crédito no mercado.

"Agora, o que nós queremos é aumentar a inovação, melhorar a qualidade daquilo que vai estar sendo financiado e um exemplo é esse projeto", disse em relação ao BRT carioca. Coutinho não chegou a especificar qual linha de crédito atenderá a essa meta, mas garantiu que empresas do setor privado indicaram interesse em desenvolver uma parceria com fabricantes de fontes alternativas de combustível. "Não posso adiantar nada".

"Esperamos que ela [alternativa] fique pronta, consiga se desenvolver e gerar um equipamento competitivo dentro do prazo do Transcarioca [BRT]", concluiu.

De acordo com o prefeito da cidade, Eduardo Paes, o BRT facilitará o acesso ao subúrbio carioca. Paes prometeu uma série de obras de urbanização com a execução do projeto. A contrapartida da prefeitura no empreendimento será de R$ 200 milhões. As obras estão previstas para começar no mês que vem.


 

Leia Também