BNDES financiou R$ 67,7 milhões para setores editorial e livreiro nacional em 2012

BNDES financiou R$ 67,7 milhões para setores editorial e livreiro nacional em 2012
04/07/2012 20:00 - agência brasil


O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) financiou, no primeiro trimestre deste ano, R$ 67,7 milhões para o setor editorial e livreiro nacional, entre operações diretas e indiretas (estas feitas por meio da rede de agentes financeiros credenciados). No ano passado, os empréstimos do BNDES ao setor alcançaram R$ 174,7 milhões, dobrando o volume registrado em 2010 (R$ 86,6 milhões).

Hoje (4), o BNDES aprovou o financiamento no valor de R$ 12,4 milhões para publicação de 277 livros técnicos e científicos pelo Grupo Editorial Nacional Participações (GEN). Segundo informou a assessoria de imprensa do BNDES, mais da metade dos livros são de autores nacionais. Os recursos do banco correspondem a 63% do investimento total das publicações.

Além da publicação de obras nacionais voltadas ao mercado doméstico, a GEN publicará também oito livros de autores brasileiros destinados ao mercado da América Latina nas áreas de ciências biomédicas e de saúde. Está prevista a edição de 133 títulos inéditos de escritores estrangeiros no Brasil.

Líder no mercado brasileiro de livros técnicos, científicos e profissionais, o grupo foi fundado em 1932 e engloba dez editoras, entre as quais a Forense, a Guanabara Koogan e a Método.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".