Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

COORDENAÇÃO POLÍTICA

Bernal discute sucessor de Pedro Chaves

Bernal discute sucessor de Pedro Chaves
24/01/2014 00:00 - DA REDAÇÃO


O prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), segundo reportagem na edição de hoje (24) do jornal Correio do Estado, considerou “natural” o eventual pedido de demissão do suplente de senador e secretário municipal de Governo e de Relações Institucionais, professor Pedro Chaves. A retirada do articulador político de Bernal, da atual administração, deverá acontecer em meados de abril. Mas, sua substituição já tem sido cogitada pelo chefe do Executivo. Um dos nomes preferidos seria de seu líder político na Câmara Municipal, o vereador Marcos Alex (PT).

Indicado para livrar Bernal da cassação de seu mandato com a ampliação de aliados no Legislativo, Chaves deverá se retirar da atual administração em meados de abril ou quando sua missão, de conquistar a sobrevivência do gestor municipal na prefeitura estiver garantida.

Ontem, durante posse de Jacqueline Hildebrand Romero como secretária municipal da Mulher, o prefeito foi indagado sobre a iminente saída de seu principal coordenador político. De início, o chefe do Executivo declarou não ter conhecimento de qualquer pedido de exoneração por parte de Chaves. Porém, logo depois, o gestor municipal contornou a situação dizendo que a renúncia de seu secretário de Governo é algo “natural”.

Para Bernal,conforme a reportagem de Tavane Ferraresi,  como o professor é também suplente do senador Delcídio do Amaral (PT), tal destituição estaria associada à possibilidade do petista deixar a vaga no Senado para seu suplente. 

Felpuda


Figurinha começou a respirar aliviada, embora ainda esteja na corda bamba. Isso porque mudou de mãos o processo cuja sentença poderá mandá-la para casa definitivamente. Assim, pela “jurisprudência” com a qual o “analista” é conhecido, pode ser que o resultado seja bastante favorável, permitindo que a então desesperada pessoa continue com o assento em Brasília. Vamos ver!