Campo Grande - MS, domingo, 19 de agosto de 2018

Católicos

Beatificação de João Paulo 2º reúne mais de um milhão de fiéis

1 MAI 2011Por Folha08h:59

Superando as previsões, mais de um milhão de peregrinos e fiéis vindos de várias partes do mundo lotaram neste domingo a cidade de Roma para assistir à cerimônia de beatificação do papa João Paulo 2° na praça de São Pedro, de acordo com o porta voz do Vaticano, citando fontes da Secretaria de Segurança de Roma.

Devido à pressão dos peregrinos, a polícia italiana foi obrigada a abrir as cancelas que dão acesso à praça de São Pedro quatro horas antes do previsto. Milhares de pessoas não puderam chegar ao local e tiveram que se dirigir para outras áreas da cidade de Roma, onde foram instalados telões, para acompanhar a cerimônia.
Um grupo de brasileiros do Distrito Federal chegou às quatro horas da manhã para pegar um bom lugar próximo à praça de São Pedro. Mesmo não estando muito próximos, estavam emocionados.

"Chegamos sábado no fim da tarde de Brasília. Às quatro da manha já estávamos aqui", disse à BBC Brasil João Carlos de Almeida, 54, empunhando uma grande bandeira do Brasil.

"A cerimônia foi maravilhosa, emocionante. João Paulo 2º foi santo em vida e mudou o mundo com sua presença."

CARISMA

A presença de mais de um milhão de pessoas, num clima de grande comoção, confirma mais uma vez o grande carisma de João Paulo 2º, que foi lembrado pelo papa Bento 16 no sermão que fez durante a cerimônia.

Em sua homília, o papa Bento 16 explicou que o motivo pelo qual decidiu acelerar o processo de beatificação --último estágio antes da santidade-- de seu predecessor foi a grande veneração popular por João Paulo 2º.

"Passaram-se seis anos desde o dia em que nos encontrávamos nesta praça para celebrar o funeral do papa João Paulo 2º. Já naquele dia sentíamos pairar o perfume de sua santidade, tendo o povo de Deus manifestado de muitas maneiras a sua veneração por ele."

"Por isso, quis que a sua causa de Beatificação pudesse, no devido respeito pelas normas da Igreja, prosseguir com discreta celeridade. E o dia chegou porque assim quis o Senhor: João Paulo 2º é Beato, por sua forte e generosa fé apostólica".

"Hoje nos nossos olhos brilha, na plena luz de Cristo ressuscitado, a amada e venerada figura de João Paulo 2º. Seu nome junta-se à série de santos e beatos que ele mesmo proclamou durante os quase 27 anos de pontificado."

DELEGAÇÕES OFICIAIS

A cerimônia de beatificação de João Paulo 2º foi presidida pelo papa Bento 16 e cocelebrada por todo o colégio cardinalício.

Além dos peregrinos e fiéis vindos de diversos países, 87 delegações oficiais presenciaram a cerimônia. O Brasil foi representado pelo vice-presidente Michel Temer.

Logo no início da cerimônia, após a leitura de uma breve biografia de João Paulo 2º, o cardeal vigário de Roma, Agostino Vallini, pediu formalmente ao papa para inscrever o nome de seu predecessor no elenco dos beatos.

O papa leu a fórmula da beatificação.

"Concedemos que o venerável servo de Deus, João Paulo 2º, papa, de agora em diante, seja chamado de beato e seja celebrado no dia 22 de outubro."

Logo após a proclamação do novo Beato, um grande retrato de João Paulo 2º foi exposto na fachada da Basílica, sob os aplausos da multidão e o papa Bento 16 recebeu a relíquia que contém o sangue de Karol Wojtyla e a beijou.

MILAGRE

A relíquia foi entregue ao papa pela religiosa francesa Marie Simon Pierre Normand, que havia sido curada por intercessão de João Paulo 2º do mal de Parkinson. O milagre foi decisivo para a conclusão do processo de beatificação.

Durante a homília, Bento 16 disse que, em seu testamento, João Paulo 2º recordou as palavras que lhe foram ditas ao ser eleito papa, pelo cardeal primaz da Polônia, Stefan Wyszynski: "A missão do novo papa será de introduzir a Igreja no terceiro Milênio".

Bento 16 disse que, no testamento, João Paulo 2º agradeceu por ter participado do Concílio Vaticano 2º, do qual disse sentir-se "devedor", e recordou também as palavras de seu predecessor em sua primeira missa solene, após ter sido eleito, em outubro de 1978.

"Não tenhais medo, abri, melhor, escancarai as portas a Cristo."

"Aquilo que o papa recém-eleito pedia a todos, começou ele mesmo a fazê-lo. Abriu a Cristo a sociedade, a cultura, os sistemas políticos, econômicos, invertendo uma tendência que parecia irreversível. Ajudou os cristãos de todo o mundo a não ter medo de se dizer cristãos."

MARXISMOXCRISTIANISMO

Segundo o papa, João Paulo 2º favoreceu uma grande reflexão sobre a confrontação entre marxismo e cristianismo centrada no homem. E conquistou espaço para o cristianismo.

"A sua mensagem foi esta: o homem é o caminho da Igreja e Cristo é o caminho do homem."

"Aquela carga de esperança que fora cedida ao marxismo e à ideologia do progresso, João Paulo 2° legitimamente reivindicou-a para o cristianismo, restituindo-lhe a fisionomia autêntica da esperança".

Enfim, Bento 16 recordou os anos de convivência com seu predecessor. Joseph Ratzinger foi prefeito da congregação para a doutrina da fé, a mais importante da Santa Sé, durante 23 anos, desde 1982 até ser eleito papa em abril de 2005.

Após a cerimônia, o papa Bento 16 seguido pelos cardeais, entrou na Basílica de São Pedro, para fazer uma homenagem ao novo Beato, diante do altar central, onde foi exposto o caixão que contém os restos mortais de João Paulo 2º.

O caixão ficará exposto para a veneração dos fiéis e depois será colocado de forma definitiva, na Capela de São Sebastião, do lado direito da Basílica de São Pedro, ao lado da Pietà de Michelangelo.

Leia Também