Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, quarta, 12 de dezembro de 2018

Vidas ameaçadas

'Bati mesmo', diz homem que lutou com bandido

2 ABR 2011Por vivianne nunes11h:33

“Ouvi o disparo e pensei que ela tivesse levado um tiro na cara. Neste momento eu estava lutando com um dos marginais e comecei a bater ainda com mais força. Eu perdi o sentido. Bati mesmo”. A declaração foi feita ao Portal Correio do Estado por João* (nome fictício), marido da mulher que reagiu a afirmação do assaltante no momento em que insinuou fazer mal às duas filhas do casal de três e seis anos de idade que estavam no local no momento da ação criminosa.
 
“É difícil demais falar sobre o assunto. A gente só chora o tempo todo. No momento em que tudo aconteceu o desespero foi muito forte e ainda mais quando mexem com os filhos da gente. Pra quem já foi assaltado cinco vezes, a sensação de humilhação que temos ao ser abordado é muito grande”, afirmou o pai das meninas. Para ela, a esposa se arriscou demais ao lutar com o bandido. “Eu temi muito pela vida dela”, afirmou.

 O comerciante lembra com muita tristeza o momento em que foi abordado ainda na porta do pequeno mercado, onde mora com a família. “Não é gente daqui [do bairro], mas eles já vinham estudando o caso há dias. Eles têm tempo para fazer isso e nos pegaram de surpresa. A reação foi de ódio diante da humilhação”, concluiu.
 

 No momento em que lutava com o assaltante que havia ficado de guarda, no outro cômodo, a esposa lutava com o bandido armado. João e o cunhado foram feitos reféns mas conseguiram se soltar no momento em que perceberam a reação da mãe das crianças. O irmão, cunhado, que mora com a família, foi socorrer a irmã e acabou baleado pelo assaltante. Ele teria dito que não deixaria a irmã morrer e mesmo ferido conseguiu tomar a arma do bandido e disparado contra ele em legítima defesa. André Luis do Espírito Santo, 17 anos, morreu no local. O outro menor, também de 17 anos, foi apreendido pela Polícia Militar, que foi acionada por vizinhos.
 

 A mãe teria percebido o momento em que os bandidos entraram no local, se esconderam no banheiro e em seguida renderam João e o cunhado. Ela então orientou as crianças para que ficassem no banheiro e elas entraram “quietinhas” lá. O bandido já havia tirado R$ 1,2 mil do caixa do mercado e queria mais. “Me passa as jóias”, teria dito à mulher. “Eu sei que você tem ouro e gosta de jóias”, disse André à vítima. Diante da negativa da mulher ele teria dito que sabia de “duas coisas boas que estavam no quarto”, referindo-se às crianças. Ela não teve dúvida ao saltar sobre o bandido e lutar com ele pelo bem das crianças.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também