ANIVERSÁRIO

Base Aérea comemora 68 anos com entrega de medalhas na Capital

Base Aérea comemora 68 anos com entrega de medalhas na Capital
24/08/2012 15:00 - CELSO BEJARANO E BEATRIZ LONGHINI


A Base Aérea de Campo Grande (BACG) "Sentinela Alada do Pantanal'' completa 68 anos neste mês. Para comemorar a data foi realizada hoje (24) uma solenidade com a participação de civis e militares, entre eles, aqueles que atuaram na cidade desde a sua criação.

O destacamento, como era chamado quando foi criado em 21 de agosto de 1944, contava apenas com três soldados e um sargento. Hoje, a BACG é referência no país e se destaca como uma das principais forças militares.

Com quatro esquadrões, a Base Aérea está equipada para transporte de flagelados (Esquadrão Onça), busca e salvamento em locais de risco (Esquadrão Pelicano), e, além da vigia da fronteira de Mato Grosso do Sul com a Bolívia e o Paraguai (Esquadrão Flecha), há uma tropa especializada em trabalho em regiões de risco, tanto na neve como no deserto (Esquadrão PARA-SAR).

Personagem ativo desta história, o suboficial da Reserva, Antônio Assis dos Santos, de 85 anos, foi comandante da BACG em 1955 e se emocionou com as homenagens. “Gostaria que o tempo voltasse”, revelou.

Um dos principais condecorados do dia, o brigadeiro de ar Maximo Ballatore Holland recebeu a medalha Marechal Machado Lopes, honraria concedida pela Associação Nacional dos Veteranos da Força Expedicionária Brasileira. Ele é um dos três campo-grandenses que trabalharam na Base como comandante, de 2007 a 2008. Hoje é chefe de operação do Estado Maior da Aeronáutica, um dos cargos mais importantes da Força Aérea Brasileira.

“Receber uma medalha é uma satisfação indescritível”, disse emocionado.

Para o atual comandante, coronel aviador John Kenney Menescal, a BACG é uma estratégia de defesa para o país. “A corporação é amparada por sua história”, afirmou.

A solenidade entregou 30 medalhas a militares por tempo de serviço, merecimento e personalidades civis por destacados serviços prestados.
 

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".