Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CONTRATAÇÃO INVESTIGADA

Barça admite que pagou R$ 129 mi a empresa de pai de Neymar

Barça admite que pagou R$ 129 mi a empresa de pai de Neymar
15/01/2014 10:52 - terra


O Barcelona cedeu à pressão das autoridades espanholas e divulgou os detalhes da transação que levou Neymar do Santos até o clube catalão. O clube, que é investigado no país por uma suposta apropriação indébita do presidente Sandro Rosell sobre o dinheiro da operação, admitiu que pagou 40 milhões de euros (cerca de R$ 129 milhões) à N&N Consultoria Esportiva e Empresarial Ltda., empresa do pai do jogador, Neymar da Silva Santos. A equipe catalã nunca havia divulgado de forma oficial o destino dos 57,1 milhões de euros (R$ 184 milhões) anunciados como o valor total da transferência de Neymar, baseada em uma suposta cláusula de confidencialidade do contrato. Já o Santos sempre divulgou que recebeu por volta de 17,1 milhões de euros (R$ 55 milhões) pela saída do atacante. A diferença foi paga como comissão ao pai de Neymar.

A acusação contra o Barcelona foi feita por Jordi Cases, sócio do clube catalão e membro da oposição contra o presidente Rosell. Segundo Cases, não faria sentido pagar "300 mil por uma casa e 700 mil como comissão para o intermediário". Ele aponta que Rosell teria ficado com parte dos 40 milhões de euros, dinheiro que veio dos cofres do clube. Segundo o jornal inglês The Telegraph, a declaração oficial do Barcelona deve causar complicações legais com a DIS, empresa que tinha 40% dos direitos econômicos de Neymar e recebeu apenas 6,8 milhões de euros (R$ 21,9 milhões) pela venda - a porcentagem foi calculada sobre os 17,1 milhões de euros recebidos pelo Santos, e não sobre o valor total de 57,1 milhões.

Em entrevista ao jornal catalão Sport publicada nesta quarta-feira, Neymar negou que tenha havido qualquer irregularidade em sua venda do Santos ao Barcelona e afirmou que todas as negociações foram conduzidas por seu pai.

Felpuda


Acontecimentos policiais de grande repercussão deverão refletir seriamente na jornada de uns e de outros. Os cortes nos “tentáculos do polvo” os deixaram sem respaldo para enfrentar a maratona que há tempos participam, e com sucesso. Ao mesmo tempo que ficaram sem o aconchego financeiro, afastaram-se do abraço, até então muito amigo, preocupados com o ditado popular que afirma:  “Diga-me com quem andas e eu te direi quem és”.