Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, domingo, 16 de dezembro de 2018

Londres 2012

Bandeira brasileira é 4ª mais cara em leilão

13 AGO 2012Por Terra16h:34

Os fãs que estiverem dispostos a guardar artigos que fizeram parte da história dos Jogos Olímpicos deste ano poderão adquirir itens em um leilão. Com o apagar da pira na noite deste domingo (12), o site oficial de Londres 2012 iniciou o evento, no qual é possível adquirir bolas utilizadas em finais de competições e bandeiras da Cerimônia de Abertura - e a do Brasil, aliás, é uma das mais valorizadas.

Por se tratar de um site britânico, os preços estão todos em libras esterlinas (que atualmente vale três vezes mais do que o real). Sendo assim, os preços aparecem um tanto quanto salgados - mas certamente há aqueles que não se importarão em gastar uma quantia considerável para ter consigo algo que faz parte da história do esporte.

Por exemplo: a bola da final masculina do basquete está em leilão, e atualmente é arrematada por 3.030 libras (ou R$ 9,6 mil) - seis vezes mais cara que o idêntico modelo da disputa do bronze entre Rússia e Argentina. Um comprador mais fanático ainda poderá ter a oportunidade de se imaginar LeBron James, Kobe Bryant ou Pau Gasol e encestar a bola da final no mesmo aro, com a mesma redinha, também à venda e avaliados em 1.010 libras e 3.005 libras, respectivamente. O kit todo, aliás, sai hoje em dia por 7.045 libras (pouco mais que R$ 22 mil).

O artigo mais caro do site é uma medalha de bronze dos Jogos de St. Louis, com preço fixado em 20 mil libras esterlinas (ou R$ 63,5 mil). A página de leilões também disponibiliza as bandeiras utilizadas pelas delegações na Cerimônia de Abertura, em 27 de julho. E a brasileira é a quarta mais cara das que estão atualmente à venda: o lance mais recente foi de R$ 3.208, menor apenas que as de Estados Unidos (R$ 11.834), Austrália (R$ 5.257) e Canadá (R$ 3.828).

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também