Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

RIO ANHANDUÍ

Balsa tira moradores do isolamento

Balsa tira moradores do isolamento
13/04/2011 12:03 - cícero faria/dourados


Isolados havia mais de um mês, moradores de sítios e fazendas na divisa dos municípios de Nova Andradina e Ribas do Rio Pardo, no km 152, da rodovia BR-267, passaram a contar desde segunda-feira com o serviço de uma balsa para fazer a travessia do rio Anhanduí.
No local existia uma ponte de madeira de 75 metros que foi arrancada pela cheia do rio no período de intensas chuvas que caíram naquela região em março.
A balsa foi transferida do município paulista de Paulicéia atendendo a pedidos de produtores rurais que estavam isolados, sem conseguir escoar a sua produção, a não ser que tomassem desvios que aumentavam em, pelo menos, 80 quilometros, para chegar a Nova Andradina.
No primeiro dia de funcionamento da balsa foi grande o movimento de veiculos que passaram pelo local, com as pessoaas viajando para efetuar pagamentos e realizar compras em Nova Andradina. O km 152 é a única via de acesso da região com suporte para realizar a travessia de veículos.
Pelo serviço prestado, a empresa dona da balsa está cobrando R$ 5 por motocicleta; R$ 10 dos automóveis; R$ 20 de veículos comerciais leves, como a F 4000; R$ 30 por caminhão; e R$ 50 por carreta.
 

Verba
O Ministério da Integração Nacional vai destinar R$ 30 milhões para recuperar estragos causados pela chuva em Mato Grosso do Sul. O dinheiro foi empenhado na noite de segunda-feira. A previsão é de em 15 dias o dinheiro esteja nas contas do governo do Estado. O recurso será aplicado na substituição de 38 pontes de madeira por concreto.

Foto: Nova News

Balsa está operando no rio Anhanduí, cuja ponte caiu.

Felpuda


Acontecimentos policiais de grande repercussão deverão refletir seriamente na jornada de uns e de outros. Os cortes nos “tentáculos do polvo” os deixaram sem respaldo para enfrentar a maratona que há tempos participam, e com sucesso. Ao mesmo tempo que ficaram sem o aconchego financeiro, afastaram-se do abraço, até então muito amigo, preocupados com o ditado popular que afirma:  “Diga-me com quem andas e eu te direi quem és”.