Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

FERIADO

Balanço do carnaval 2011 registra redução de 24% nos crimes

Balanço do carnaval 2011 registra redução de 24% nos crimes
10/03/2011 11:23 - VIVIANNE NUNES E EVELIN ARAUJO


O Comando Geral da Polícia Militar divulgou hoje uma redução em 24% das ocorrências policiais em relação ao ano passado no período do carnaval deste ano, que foi do dia 4 ao dia 8 de março. 

O comandante da Polícia Militar, Carlos David dos Santos, disse que o número de registros diminuiu graças ao policiamento ostensivo à pé nas ruas, como forma de intimidação a assaltos e agressões.

Foram deflagradas 22 operações preventivas e as horas de folga dos policiais foram reduzidas para que o efetivo aumentasse nas principais vias de Campo Grande, como a Avenida Júlio de Castilho, Avenida Bandeirantes, Avenida Fernando Correa da Costa e também em feiras livres e terminais. 

Segundo a polícia, durante a operação cerca de 40 mil pessoas em festividades públicas foram abordadas em todo o Estado e mais de 4.500 policiais trabalharam durante o período. 

Foram registrados 135 acidentes, 10 a mais que o ano passado mas ninguém morreu no trânsito este ano na Capital,  diferentemente do ano passado, quando duas pessoas foram vítimas. 

Os assaltos a ônibus coletivos diminuíram de 22 em 2010 para 3 neste ano, assim como o roubo de veículos, 31 em 2010 contra 19 em 2011, sendo que destes 9 foram recuperados. 

Interior

O policiamento ostensivo também foi realizado no interior, principalmente nas estradas do Estado, para prenção ao tráfico de drogas. Maconha, cocaína, pasta base e raxixe foram apreendidas nas rodovias e 17 pessoas ficaram feridas em decorrência dos acidentes de trânsito, contra 31 no ano passado, no mesmo período. 

Felpuda


Em uma das eleições em MS, candidato já oficializado na convenção corria o trecho para conquistar os eleitores. Mal sabia, porém, que time do seu partido e de aliados estava tramando sua derrubada para emplacar substituto que teria mais votos. Por muito pouco, o dito-cujo não foi guilhotinado, conseguindo salvar o pescoço. Agora tudo indica que o mesmo processo estaria em andamento e seria mais fácil, pois a “vítima” desta vez ainda é só pré-candidato. Dizem que a “turma da trairagem” tem know-now no assunto.