Segunda, 18 de Dezembro de 2017

DESCASO

Bairro mais populoso da Capital,
Aero Rancho enfrenta o abandono

18 FEV 2014Por DA REDAÇÃO00h:00

        Moradores enfrentam ruas esburacadas, sujeira (foto abaixo) e insegurança (Fotos: Paulo Ribas)

Bairro com a maior concentração populacional da cidade, mais de 36 mil pessoas moram na região, o complexo do Aero Rancho também enfrenta problemas na mesma proporção de seu tamanho. Nos últimos anos, os bairros da região receberam mais serviços públicos e privados, mas quando o assunto é infraestrutura, a população reclama de o local ter parado no tempo. A reportagem está na edição de hoje (18) do jornalCorreio do Estado.

Essa é a constatação da maior parte dos moradores do Jardim Aero Rancho entrevistados ontem. Eles afirmam que o bairro recebeu supermercados, escolas e outras benfeitorias, mas que nos últimos anos, a região foi esquecida pelo poder público. 

“Aqui é esquecido de tudo”, afirma a pensionista Luzia Gonçalves, 62 anos, e que a mais de 35 anos reside no Jardim Aero Rancho. Quando Luzia se mudou para o bairro, sua casa era uma das poucas residências que existiam. Viu o Aero Rancho se desenvolver, expandir para setores residenciais e, no local onde o complexo teve início, hoje testemunha a estagnação.

“O bairro foi crescendo, se desenvolvendo, chegando mais gente. Com o tempo visaram a baixada e para gente, que deu início ao Aero Rancho, não tem nada. Não tem creche, não tem escola, tudo aqui fica muito longe”, queixa-se a pensionista. 

Programa MS Forte 2

O Jardim Aero Rancho foi contemplado em 2013 pelo programa do governo “MS Forte 2”.

Para investimentos estruturais na região, foram utilizados recursos do governo do Estado e do Ministério das Cidades. Com o objetivo de realizar pavimentação asfáltica, o programa, no total, terá o alcance de mais de 45.610 metros quadrados de vias no bairro.

Divididos nas etapas “E”,  “F” e “G”, os investimentos somam R$ 12,9 milhões. As obras tiveram início no fim do ano passado, com a conclusão programada para maio deste ano. A reportagem é de Daniel Campos.

Leia Também