Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

Avião que desapareceu durante voo no Pará levava equipe do Ministério da Saúde

Avião que desapareceu durante voo no Pará levava equipe do Ministério da Saúde
19/03/2014 12:48 - AGÊNCIA BRASIL


Equipes da Força Aérea Brasileira (FAB) retomaram na manhã de hoje (19) as buscas pelo bimotor modelo Beechcraft BE 58 Baron, que despareceu ontem (18), por volta das 12h30, com cinco pessoas a bordo, cerca de uma hora depois de decolar do Aeroporto de Itaituba com destino à cidade de Jacareacanga, no sudoeste do Pará. Dois aviões da empresa de táxi-aéreo proprietária da aeronave auxiliam os trabalhos.

A aeronave de prefixo PR-LMN, pertencente à empresa Jotan Taxi Aéreo, prestava serviço à Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), ligada ao Ministério da Saúde. De acordo com ministério, estavam a bordo as técnicas de enfermagem Rayline Sabrina Brito Campos, Luciney Aguiar de Sousa e Raimunda Lúcia da Silva Costa, o motorista Ari Lima e o piloto Luiz Feltrin. Eles substituiriam as equipes que já prestavam atendimento às aldeias da etnia Munduruku, na região de Jacareacanga.

O Ministério da Saúde informou ainda, por meio de nota, que a coordenação do Distrito Sanitário Especial Indígena Rio Tapajós acionou as equipes de buscas ontem, quando foram iniciadas as operações aéreas e por terra.

Segundo informações do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáutico (Cenipa), Um helicóptero H-60 Black Hawk e um Amazonas, especializado em missões de busca e salvamento, deslocado de Campo Grande (MS), fazem as buscas com apoio de 20 militares da FAB.

As buscas, no entanto, estão sendo prejudicadas devido às condições meteorológicas “desfavoráveis” em Jacareacanga, que dificultam o uso do aeroporto local. De acordo com o Cenipa, a aeronave desapareceu a, aproximadamente, 29 quilômetros a nordeste do seu destino.

Felpuda


Acontecimentos policiais de grande repercussão deverão refletir seriamente na jornada de uns e de outros. Os cortes nos “tentáculos do polvo” os deixaram sem respaldo para enfrentar a maratona que há tempos participam, e com sucesso. Ao mesmo tempo que ficaram sem o aconchego financeiro, afastaram-se do abraço, até então muito amigo, preocupados com o ditado popular que afirma:  “Diga-me com quem andas e eu te direi quem és”.