Quinta, 22 de Fevereiro de 2018

ACIDENTE

Avião cai e três funcionários da LBV morrem em Minas Gerais

10 DEZ 2010Por ESTADÃO ON-LINE08h:12

 

Três funcionários da Legião da Boa Vontade (LBV) morreram e outras duas pessoas, o piloto e o coordenador executivo da equipe da LBV, ficaram feridas, com queimaduras, por volta das 19 horas de quinta-feira, 9, após um pouso forçado mal sucedido de um bimotor modelo Beechcraft, prefixo PT-LEU. O acidente aconteceu numa área de pasto da comunidade do Córrego do Feijoal, no distrito rural de Bom Jesus do Galho, na cidade de Caratinga, cerca de 300 quilômetros de Belo Horizonte.

Durante o socorro às vítimas, os bombeiros ouviram de um dos sobreviventes que o motor começou a ratear, forçando o piloto, João Vicente Granha, de 40 anos, a tentar um pouso forçado, culminando no acidente seguido de explosão. Guimarães e Paulo Duarte Pereira, de 46 anos, coordenador da equipe da LBV, mesmo feridos, conseguiram deixar a aeronave antes da explosão. Com queimaduras de segundo e terceiro graus, João Vicente e Paulo Duarte foram levados para o pronto-socorro municipal da cidade e transferidos para a cidade de Ipatinga, mas já estão fora de perigo.

Os três mortos, todos carbonizados, são: Belkis Faria, 35, repórter e assessora de imprensa; Clayton Ferreira, 25, fotógrafo; e Rodrigo Mafra, 26, cinegrafista. Familiares das vítimas já se deslocaram até a cidade mineira para providenciar a liberação dos corpos. O corpo de Belkis será levado para Brasília, já Clayton e Rodrigo serão trazidos para São Paulo. Paulo Duarte, além de diretor executivo da LBV, é um empresário paulista do ramo de construção. Na terça-feira, 7, iniciou a distribuição de cestas básicas por algumas capitais, pela campanha beneficente "Natal Permanente da LBV - Jesus, o Pão Nosso de Cada Dia!".

Depois de visitar Curitiba (PR), na quarta-feira, 8, a equipe foi até Belo Horizonte; e na quinta-feira, 9, chegou em Vitória. Nesta sexta-feira, 10, a entrega de cestas básicas seria realizada a pessoas carentes em Goiânia (GO). O avião acidentado foi cedido à LBV pelo advogado paulista Márcio Pollet, colaborador da instituição. Segundo Márcio, o avião saiu da revisão na semana passada e estava em ordem e possui capacidade para seis pessoas, mas que recomendou a Paulo que não passasse de cinco pessoas. O advogado contou ainda que adquiriu a aeronave, fabricada em 1975, há um ano e meio, e que desde então vem fazendo uso regular do aparelho, mantendo a manutenção em dia.

Leia Também