ESPORTES

Autódromo da Capital recebe os últimos ajustes para a Stock

Autódromo da Capital recebe os últimos ajustes para a Stock
15/09/2010 14:05 -


JAKSON PEREIRA

Os organizadores da Stock Car, que terá a oitava etapa disputada domingo em Campo Grande, terminam hoje os preparativos para receber as principais máquinas do automobilismo nacional. A corrida na Capital definirá os dez pilotos que participarão da “Superfinal”.
Ontem foram feitos os retoques de pintura na pista, montagem de arquibancadas e escritórios e preparação dos boxes. Hoje a pista será lavada e o autódromo começa a receber as primeiras equipes para a preparação dos carros. “Está tudo pronto para receber as equipes e pilotos. Os organizadores da categoria já andaram na pista e aprovaram os ajustes feitos para a prova”, comentou o presidente da Federação de Automobilismo de Mato Grosso do Sul, Valdemir Terra.
Segundo o dirigente, depois dos retoques finais, as máquinas começam a movimentar a cidade. “São muitas atividades extraprovas programadas para Campo Grande. A Stock Car é uma categoria que movimenta a população e será uma grande festa”, relatou o presidente que espera pelo menos 15 mil pessoas no dia da corrida.

Disputa
Dos 34 pilotos que participam do Brasileiro de Stock Car, seis estão garantidos e 15 têm chances matemáticas de classificação para a “Superfinal”.
Já estão assegurados na próxima fase Átila Abreu, da AMG Motorsport (Chevrolet); Ricardo Maurício, da Eurofarma RC (Chevrolet); Cacá Bueno, da Red Bull Racing (Peugeot); Max Wilson, da Eurofarma RC (Chevrolet); Nonô Figueiredo, da Cosan Mobil Super Racing (Chevrolet); e Daniel Serra, da Red Bull Racing (Peugeot), com 63.
Os treinos livres serão realizados na sexta-feira e no sábado pela manhã. No período da tarde acontece o treino oficial e a prova será no domingo pela manhã.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".