Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, terça, 16 de outubro de 2018

Ausências frustram encontro de ex-governadores

3 MAR 2010Por 05h:46
A ausência dos ex-governadores Pedro Pedrossian (sem partido), Marcelo Miranda (PR) e José Orcírio dos Santos (PT) frustrou a expectativa de reunir, pela primeira vez, as principais autoridades políticas de Mato Grosso do Sul, protagonistas de confrontos históricos em busca do governo do Estado. A iniciativa partiu da diretoria da 72ª Expogrande que, para carimbar selo em homenagem a Laucídio Coelho, fundador da Acrissul (Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul), em 1931, convidou todos os ex-governadores e ex-prefeitos da Capital. Mas compareceram apenas o exgovernador Wilson Barbosa Martins (PMDB), o atual governador, André Puccinelli (PMDB) e os ex-prefeitos Levy Dias (PMDB) e Lúdio Coelho (PSDB). Pedro Pedrossia n não foi ao evento por motivos de saúde, Marcelo Miranda não estava na cidade e José Orcírio deixou de ir para evitar encontro com seu rival, André Puccinelli. “O ouvido do Pedro inflamou e não foi possível colocar o aparelho para ele poder escutar”, explicou sua esposa, Maria Aparecida Pedrossian. “Fui convocado às pressas para Brasília”, justificou Marcelo Miranda. “Como o André veio, o Zeca (José Orcírio) optou em não comparecer”, informou o deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT). Um dos momentos mais esperados do evento seria a conversa de Wilson Barbosa Martins com Pedrossian. Há pelo menos uma década eles não se falam. “Não vejo por que manter essa rivalidade, pois não julgo inimigas as pessoas que disputaram votos comigo”, disse Wilson, que lamentou a ausência de Pedrossian. Para o ex-governador, essa história de rixas ficou no passado e não deve se repetir no presente – nem no futuro. “A conduta dos governantes deve ser respeitosa e o certo é todos trabalharem juntos em prol do desenvolvimento”, defendeu. Lúdio, que polarizou disputa marcante pelo comando de Mato Grosso, em 1965, com Pedrossian, engrossou o discurso do fim da rivalidade dos velhos líderes políticos. “As diferenças ficaram para trás. Hoje, temos um relacionamento respeitoso”, garantiu. No entanto, ele acha salutar a disputa política e defende a alternância no poder. Ao ser indagado se a rivalidade com Pedrossian se compara à rixa de Puccinelli e José Orcírio, Lúdio criticou a conduta de certos políticos, porém considerou como “boa a disputa entre o Zeca e o André” porque “a alternância no poder é boa”. “Agora, em resumo, a política está complicada. Não consigo entender mais nada. O que está acontecendo em Brasília é lamentável. O pior é que isso se repete na maioria dos outros estados”, disse. Sobre a possibilidade de apoiar José Orcírio na disputa pelo comando do Estado, levando em conta recente encontro com o petista, Lúdio, que é presidente de honra do PSDB, afastou a aliança. “Não tem nada disso”, declarou.
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também