Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Atores locais participam da trama

19 AGO 10 - 06h:08
Não são somente nomes consagrados nacional e internacionalmente que aparecem em cena. Há espaço para talentos locais em certos trechos. É o caso da atriz e produtora cultural Andréia Freire e do cantor e compositor Geraldo Espíndola. No caso deste, seu personagem, mesmo sem fala, tem importância dramática em determinado momento. “Gostei muito da experiência, mas cinema não é minha praia, meu negócio é música”, disse Geraldo.
Para a funcionária pública Nazareth Rosa, que afirma ser apaixonada por cinema e participa do filme como figurante, a possibilidade de acompanhar as gravações em alguns momentos foi um momento único. “Para mim, saber como é o processo de realização foi muito importante; não esquecerei jamais”. Para Carol Araújo, que atuou como figurante e produtora de elenco, uma produção do porte de “Cabeça a prêmio”, realizada no Estado, é importante para movimentar o mercado. “É necessário que apareçam outras realizações desse tipo, com isso há incentivo também para produções locais”, destaca.
Para o produtor Paulo Schimidt, filmar em Mato Grosso do Sul apresentou dificuldades e vantagens. “O fato de estar longe de São Paulo, onde podem ser encontrados vários tipos de materiais, era um complicador; por outro lado, o fato de encontrarmos muitas pessoas a fim de ajudar facilitou muito. Normalmente, quando se faz um filme em São Paulo, a equipe se concentra somente na hora do trabalho, aqui isso não aconteceu, praticamente toda a equipe ficou concentrada, alguns, até em dia de folga, ficavam por aqui mesmo. Sem contar que na equipe havia muitos amigos de Ricca, isso facilitou”, destaca.
O produtor acha que o filme tem potencial de atingir perto de 200 mil espectadores. Fora o patrocínio dos editais públicos, o filme contou com vários parceiros para realização. “Da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul recebemos R$ 200 mil e do Governo do Estado recebemos apoio de realização, assim como da Prefeitura de Sidrolândia, entre outros”, destaca o produtor.     
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

MS tem 91 imóveis confiscados do tráfico para serem vendidos
GUERRA AO CRIME

MS tem 91 imóveis confiscados do tráfico para serem vendidos

Presidente do Ceasa é sepultado nesta sexta-feira
DA REDAÇÃO

Presidente do Ceasa é sepultado nesta sexta-feira

Polícias estaduais apreendem cerca de uma tonelada de maconha por dia em MS
GUERRA AO CRIME

Polícia apreendeu cerca de 1 t de maconha por dia em MS

Programa da Fátima pode não ser melhor ou pior que os outros. É diferente
CANAL 1 - FLÁVIO RICCO

Programa da Fátima pode não ser melhor ou pior que os outros. É diferente

Mais Lidas