ESPORTES

Atleta do Estado é convocada para disputar Pan-Americano

Atleta do Estado é convocada para disputar Pan-Americano
26/03/2010 06:19 -


A atleta campo-grandense Myllena Barbosa Peixoto foi convocada para integrar a seleção brasileira de handebol, que vai disputar o Campeonato Pan-Americano de Handebol Júnior Feminino, no período de 6 a 10 de abril, em Buenos Aires, Argentina. Atualmente defendendo a equipe Universitária/Concórdia, de Santa Catarina, a atleta de 19 anos de idade começou a carreira defendendo a Mace, de Campo Grande. Integrando a seleção de Mato Grosso do Sul, teve boa participação em competições nacionais e foi convocada pela primeira vez para a seleção brasileira na categoria cadete. Com a equipe nacional, Myllena conquistou vários títulos, como o pan-americano cadete, disputado em Santa Catarina e os jogos entre países de língua portuguesa, na África do Sul. Por sua participação na seleção, a atleta despertou o interesse do clube de Santa Catarina, onde está desde 2006, tendo conquistado vários títulos. Atualmente cursando o segundo ano de educação física, a jogadora tem esperança de seguir defendendo a seleção brasileira, com o objetivo de chegar à equipe principal. De acordo com o calendário encaminhado pela Confederação Brasileira de Handebol, a apresentação da atleta está marcada para amanhã, em Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul, onde iniciará os treinamentos, permanecendo na cidade até o dia 5 de abril. Nesse mesmo dia, a delegação viaja para Buenos Aires, onde disputará o Pan- Americano.
smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".