Atirador do Colorado é indiciado por 24 crimes de assassinato

Atirador do Colorado é indiciado por 24 crimes de assassinato
31/07/2012 05:00 - agência brasil


A procuradoria do Estado do Colorado, nos EUA, indiciou nesta segunda-feira, 30, James Holmes por 24 acusações de assassinato. O ex-aluno de doutorado também foi oficialmente acusado por 116 crimes de tentativa de homicídio e posse de explosivos, depois que a polícia encontrou bombas em seu apartamento.

Ao todo, a Justiça apresentou 142 acusações formais contra Holmes, durante sua segunda aparição diante do juiz desde que foi preso, momentos após o tiroteio, na madrugada do dia 20 de julho, em um cinema da cidade de Aurora.

O atirador, de 24 anos, é acusado de ter disparado contra a plateia durante a exibição do mais recente filme da série do 'Batman', matando 12 pessoas e ferindo 58. Segundo a AFP, ele foi indiciado duas vezes para cada um dos mortos: uma por homicídio em primeiro grau e outra em segundo, "devido à extrema indiferença com o valor da vida humana".

O ataque é um dos tiroteios mais sangrentos do país nos últimos anos. Segundo analistas jurídicos, o caso deve girar principalmente em torno do estado mental do réu. Documentos judiciais apresentados na sexta-feira pelos advogados de defesa apontam que o suspeito estava sob os cuidados da psiquiatra Lynne Fenton, do corpo docente da faculdade de Medicina do campus de Anschutz, da Universidade de Colorado.

Holmes está preso sem direito a fiança e é mantido em uma cela isolado, como forma de proteger sua própria segurança. Em sua audiência inicial, uma semana atrás, Holmes não disse nada e parecia confuso e tonto, às vezes fechando os olhos como se lutasse contra o sono. Houve quem disse que ele estava sob efeito de remédios sedativos.

O juiz distrital do condado de Arapahoe, William Sylvester, proibiu qualquer pessoa ligada ao caso de falar com a imprensa.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".