Atentado em Cabul, perto de base da Otan, deixa ao menos 4 mortos

Atentado em Cabul, perto de base da Otan, deixa ao menos 4 mortos
08/09/2012 09:22 - g1


Pelo menos quatro pessoas morreram em um atentado suicida ocorrido neste sábado (8) na área diplomática de Cabul, no Afeganistão.

"O ataque foi perpetrado por um menino de 15 anos, que levava os explosivos em uma bolsa", explicou o porta-voz da polícia da capital afegã, Hashmatulá Stanikzai. Por meio de uma mensagem na rede social Twitter, a insurgência negou depois que o terrorista suicida fosse menor de idade, como afirmaram as autoridades afegãs.

Segundo o porta-voz da polícia da capital afegã, Hashmatulá Stanikzai, as vítimas tinham entre 15 e 18 anos de idade e ganhavam a vida limpando e estacionando carros no bairro de Shash Darak, que abriga vários edifícios diplomáticos e o quartel-general da missão da Otan no país.

Em declarações à agência Efe, um porta-voz talibã, Zabiulá Mujahid, atribuiu a autoria do ataque a seu movimento insurgente e detalhou que se tratou de uma ação suicida.

Mujahid, cujas versões nem sempre foram confirmadas, assegurou que o alvo do atentado era uma sede dos serviços de inteligência dos EUA.

"Um de nossos mujahedins, de nome Abbas, um jovem afegão, atacou um escritório da CIA e matou a cinco importantes membros (desse organismo)", garantiu o porta-voz talibã.

Apesar de contar com maior vigilância que outras cidades, Cabul é um alvo recorrente da insurgência talibã e outros grupos jihadistas pelo impacto simbólico e moral que representa realizar atentados na capital do país.

Os talibãs lutam para derrubar o governo afegão e forçar a saída do Afeganistão das tropas internacionais para voltar a instaurar um regime fundamentalista islâmico como o que houve no país de 1996 a 2001, ano da invasão dos EUA.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".