quarta, 18 de julho de 2018

MEIO AMBIENTE

Ateliê lança absorvente ecológico reutilizável

24 OUT 2010Por 13h:01

No passado, as mulheres ainda não haviam jogado a toalha. Antigamente, pedacinhos de tecido – geralmente algodão – cuidadosamente cortados seguravam o fluxo menstrual, permitindo que as mulheres desempenhassem suas atividades com tranquilidade. A indústria trouxe os absorventes higiênicos, solução prática para a mulher moderna, e as toalhinhas ficaram esquecidas. O porém é que o impacto ambiental dessa opção descartável é grande. Uma mulher pode consumir, somando todo seu ciclo menstrual, entre 10 mil e 15 mil absorventes compostos por elementos como papel e plástico.

Por isso é que, retomando o princípio das avós e bisavós, grupos que defendem posturas sustentáveis desenvolveram e comercializam os ecoabsorventes. O produto é produzido em lugares como a Morada da Floresta, com sede em São Paulo, e o ateliê catarinense Tudo é Arte, que produz o Lunas Bioabsorvente, desenvolvendo uma alternativa verde para "aqueles dias".

Eles estão disponíveis em diversas estampas e cores, são confeccionados com algodão e têm os mesmos tamanhos das opções oferecidas no mercado. Também têm abas, mas sem cola, e fecham com um botão de pressão. Livres de substâncias bactericidas, fungicidas e fragrâncias, os ecoabsorventes não provocam alergia e são biodegradáveis. Basta enterrá-los que eles levam de seis meses a um ano para se decompor.

 

Dá mais trabalho?

Ao retirar o absorvente ecológico, a mulher não vai jogá-lo no lixo. É necessário lavá-lo, o que pode parecer um trabalho a mais, mas tanto a Morada da Floresta quando as mulheres que produzem o Lunas argumentam que vale a pena perder pouco tempo com isso que muito tempo tentando reparar os prejuízos ambientais mais adiante.

Segundo os fabricantes do absorvente verde, o procedimento não é mais complexo que lavar uma roupa íntima. Basta colocar o absorvente em uma bacia com água e esperar o sangue decantar. Depois, lavar com sabão de coco ou biodegradável e deixar secar. No caso de manchas mais firmes, um pouco de água oxigenada resolve.

Andres Bruzzone Comunicação

Leia Também