sábado, 21 de julho de 2018

FALTA DE ESTRUTURA

Assomasul promete socorrer pequenos municípios do caos

15 JAN 2011Por 00h:00

Fernanda Brigatti

Socorrer os pequenos municípios do Estado será a prioridade da nova gestão da Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul), eleita ontem, em chapa de consenso que teve o prefeito de Chapadão do Sul, Jocelito Krug (PMDB), como candidato à presidência. A assessoria de projetos e a orientação na obtenção de recursos federais deve balizar a administração da associação.
O novo presidente da Assomasul explica que muitos pequenos municípios não conseguem fazer convênios e aprovar projetos em ministérios e programas do governo federal por falta de orientação técnica. “Os municípios menores têm uma dificuldade em elaborar projetos, queremos dar essa assessoria”, disse. Em muitos casos, as prefeituras não conseguem nem mesmo reunir a documentação necessária à aprovação de convênios.
O prefeito de Ivinhema, Renato Pieretti Câmara (PMDB), avalia que os municípios menores têm diversos problemas em comum, apesar das particularidades de cada um. Em Ivinhema, a maior dificuldade, ressalta o prefeito, é conter uma grande erosão que toma conta da cidade. “Tem duas voçorocas, uma em cada ponto da cidade e nós estamos investindo para conter”, disse.
A previsão para 2011 é apertada. “Nós entramos com equilíbrio financeiro, só que muito justo. Você tem as contrapartidas que tem que dar aos repasses de recursos federais e todo começo de ano já começam as reivindicações por aumento de salários”, disse. Esse aperto, avalia, é generalizado. “Tem questões que não são só localizadas. Existem problemas que todos os municípios enfrentam, existem várias reivindicações coletivas, como transporte escolar, com a equiparação dos salários da educação, com a saúde”, elencou.
Transporte escolar é um dos temas mais delicados na Prefeitura de Santa Rita do Pardo. Segundo a prefeita Eledir Barcelos (PT), os ônibus que atendem os alunos na zona rural rodam cerca de 25 mil quilômetros todos os meses. “Os problemas são enormes. Santa Rita é o oitavo maior município do Estado em extensão. Tivemos queda de receita, o FPM (Fundo de Participação dos Municípios) não cresceu”, afirmou. A base econômica de Santa Rita é a pecuária e as receitas próprias são pequenas.
Também integrando a chapa que se elegeu ontem, Nelson Cintra (PSDB), de Porto Murtinho, acredita que a Assomasul precisa se aproximar das prefeituras. “A gente sente que os municípios ficaram muito afastados e a associação não quer trabalhar sozinha”, disse. Para ele, os presidentes da Assomasul sempre tiveram uma tendência de atuar solitariamente. “Temos que estar juntos, porque trabalhando em grupo temos muito mais força de reivindicação”, disse.
Beto Pereira (sem partido), prefeito de Terenos, presidente da Assomasul por duas gestões, avalia que a entidade foi fundamental para os municípios no período, diante da maior crise econômica dos últimos anos. “Conseguimos um aporte com o governo federal, que trouxe uma serenidade aos municípios, e também a repactuação da dívida com o INSS, que reduziu o déficit”, enumera. Ele afirma que não quis disputar a presidência da associação novamente pois optou por dar mais atenção à prefeitura.

Leia Também