Campo Grande - MS, quinta, 16 de agosto de 2018

CAMPO GRANDE

Associação comercial elege hoje nova diretoria

15 ABR 2011Por DA REDAÇÃO08h:00

As empresas associadas da ACICG terão oportunidade de referendar hoje, a única chapa inscrita na eleição para escolha da nova diretoria da entidade.

O atual presidente da ACICG, empresário Luiz Fernando Buainain, não é candidato a reeleição e, após duas gestões à frente da entidade decidiu oferecer oportunidade a outro associado para continuar o belíssimo trabalho realizado nos últimos seis anos.

“A alternância de poder é fundamental para que o trabalho que vem sendo realizado há seis anos ganhe fôlego novo, novas ideias e participação ampla de outros associados que têm muito a oferecer pelo fortalecimento da ACICG e, por extensão, de todo o setor produtivo de Mato Grosso do Sul”, afirma Luiz Fernando Buainain. “Não nos afastaremos da entidade, estaremos ao lado do novo presidente oferecendo nossa parcela de colaboração em todos os momentos que formos chamados”, concluiu Buainain, que ocupará uma das vice-presidências na nova chapa diretiva.

A chapa única que vai eleger 52 membros da nova gestão – Diretoria Administrativa, Conselho Fiscal e Conselho Deliberativo – terá o empresário Omar Aukar como candidato à presidência da entidade. Aukar é o atual primeiro-tesoureiro da ACICG e participa de todas as decisões e projetos impactantes da entidade desde 2005, tendo oferecido substancial ajuda no processo de implementação do Planejamento Estratégico da ACICG.

“Aceitamos participar da nova diretoria da Associação Comercial, ocupando o cargo de presidente da Diretoria Administrativa, por conta de convite do atual presidente que entende a alternância de poder como atitude salutar para o desenvolvimento da entidade. Sabemos da importância desse cargo e das responsabilidades que ele carrega quanto ao fortalecimento da representatividade das empresas junto ao setor público”, afirma Omar Aukar. Para ele, dirigir a ACICG significa ser a voz do empresariado local. E isso tem um peso maior quando o setor que a entidade representa contribui com mais de 60% de toda arrecadação de tributos do Estado.

Leia Também