Campo Grande - MS, terça, 14 de agosto de 2018

capital

Assista a imagens que revelam como o trio agia para furtar lojas

24 MAI 2011Por evelin araujo e gabriel maymone14h:00

Imagens obtidas pelo Portal Correio do Estado revelam como o trio apresentado nesta manhã realizava os furtos em lojas nobres de Campo Grande. Um dos envolvidos nos crimes está foragido.

No vídeo aparecem Valdemar Nunes de Souza Júnior, de 26 anos e Paulo Vieira Torrett Júnior, de 22 anos, tentando arrombar a fechadura de uma loja de brinquedos. Segundo a polícia, os dois levaram cerca de 28 minutos para conseguir entrar na loja e menos de um minuto para furtar os objetos que queriam. 

O alarme da loja é disparado apenas quando eles entram no local. A partir daí, a polícia leva cerca de 10 minutos para chegar ao furto. 

O caso

A Polícia Civil apresentou nesta manhã um trio que praticava furtos em Campo Grande. Valdemar Nunes de Souza Júnior, de 26 anos, Paulo Vieira Torrett Júnior, de 20 anos e Gelson Cardoso da Silva, de 22 anos, estão presos por praticarem 70 furtos em lojas de regiões nobres da cidade. Douglas Marcelino da Silva, de 32 anos, que integrava a quadrilha, está foragido.

Os quatro eram especialistas em arrombar estabelecimentos que tinham vidros do tipo “blindex”. Segundo a polícia, eles utilizavam uma chave de fenda para abrir as portas e demoravam cerca de 10 a 15 minutos para entrar na loja, porém, quando entravam, levavam apenas cerca de 2 minutos para pegarem os objetos e saírem do local. 

O delegado titular da Delegacia Especializada em Roubos e Furtos (Derf) Roberval Mauricio Cardoso Rodrigues explica que o alarme só é acionado quando eles entram no local e que a polícia demora cerca de 10 minutos para chegar após o disparo do alarme.

Desde o ano passado a quadrilha era investigada pela polícia, eles teriam cometido cerca de 70 furtos na Capital. Em cada assalto a quadrilha conseguia cerca de R$ 3 mil, ou seja, ao total foram furtados cerca de R$ 200 mil.

Em fevereiro deste ano, policiais encontraram digitais em uma cena de crime em uma loja na Avenida Salgado Filho que levaram às investigações até Valdemar. A partir dele, a Polícia prendeu os demais integrantes.

O outro integrante da quadrilha Douglas Marcelino da Silva, de 32 anos, está foragido. Ele era o responsável por vender os objetos e fazer a distribuição do dinheiro aos outros integrantes.

A polícia apreendeu R$ 2 mil em notas falsas, milhares de DVDs e Cds falsificados, impressora para imprimir as notas falsas e monitores LCD, que estavam com Jackson Claudio de Souza, que seria o receptador dos objetos furtados. Ele ainda não foi preso pois ele se apresentou a polícia e as investigações ainda não foram concluídas.

Leia Também