domingo, 22 de julho de 2018

DIVISA COM PARAGUAI

Assaltantes levam R$ 1 milhão de banco na fronteira

6 NOV 2010Por EDILSON JOSÉ ALVES, PONTA PORÃ00h:00

A agência do Banco Itaú situada na parte externa do Shopping China foi assaltada por três homens fortemente armados na manhã de ontem. Os assaltantes chegaram por volta das 8h25min, renderam apenas um segurança que estava naquele momento no local e em seguida entraram no prédio. Depois de render os funcionários, eles fugiram levando uma quantia ainda não confirmada, mas estima-se que possa atingir R$ 1 milhão.

Conforme as informações da Polícia Nacional do Paraguai, os três homens que seriam de nacionalidade brasileira estacionaram um Vectra de cor prata nas proximidades da agência do Banco Itaú, que substituiu o Unibanco na área externa do Shopping China. Em seguida, os bandidos foram até a porta e pediram para falar com o segurança. No momento que a porta foi aberta, o guarda foi rendido e os homens entraram na agência.

Com os rostos descobertos e com pistolas apontadas para a cabeça dos funcionários, contra quem dirigiam ameaças, os assaltantes fizeram uma verdadeira limpeza em todos os caixas, recolhendo dólares, reais e guaranis que estavam disponíveis para a abertura da agência. O volume levado pode ultrapassar a casa de 2 bilhões de guaranis, o que poderia atingir também o montante de R$ 1 milhão.

Fuga
Após se apoderarem do dinheiro, os assaltantes fugiram em alta velocidade no Vectra, cujo veículo alguns minutos depois foi abandonado nas imediações do Aeroporto Internacional de Ponta Porã e a pouco mais de 300 metros da linha divisória com Pedro Juan Caballero.

A Polícia Nacional designou dezenas de policiais para a linha de fronteira, apesar das diligências ninguém foi preso. A Polícia Militar e a Polícia Civil de Ponta Porã também foram mobilizadas. Os policiais brasileiros até a tarde de ontem vasculhavam vários pontos do município em busca de pistas para tentar identificar os autores.

O Vectra foi levado para o pátio da delegacia de Polícia Civil, onde seria submetido a perícia, na tentativa de colher digitais dos criminosos.

Facções
Para o delegado de Polícia Civil, Joel José da Silva, que está comandando as investigações sobre o abandono do carro no lado brasileiro, o assalto contra o Banco Itaú em Pedro Juan Caballero pode ter sido arquitetado por integrantes de facções criminosas com ramificações na fronteira.

Uma das hipóteses é de que o assalto poderia ter sido efetuado por supostos integrantes de facções criminosas, como o Primeiro Comando da Capital (PCC) e também do Comando Vermelho (CV).

Os policiais brasileiros discutiram estratégias ontem à tarde para colaborar com as investigações que estão sendo feitas no lado paraguaio pela Polícia Nacional. Várias diligências encontram-se em andamento.

Bradesco
Em fevereiro de 2007, cinco assaltantes fortemente armados trocaram tiros com seguranças e policiais e fugiram levando um malote com R$ 28,6 mil da agência do Banco Bradesco, no centro de Ponta Porã. A troca de tiros deixou quatro pessoas baleadas, mas todas sobreviveram.

Os envolvidos no crime, Adriano Aquino Jará e Fabiano Luiz Campagnolli Morel, foram presos em Ponta Porã, enquanto os irmãos Flávio Augusto Nogueira e Luís Augusto Nogueira, e Eduardo Luís Alfonso, presos pela Polícia Nacional, em Pedro Juan Caballero, no mesmo dia do crime.

Leia Também