quarta, 18 de julho de 2018

REAÇÃO

Assaltante é morto durante perseguição

18 NOV 2010Por Karine cortez 00h:00

Três bandidos renderam uma família na noite de terça-feira, fizeram ameaças de morte, roubaram a quantia de R$ 4,5 mil, uma caminhonete F-250 e aparelhos de telefone celular. O assalto ocorreu numa residência situada na Rua do Cruzeiro, na Vila Carlota, em Campo Grande, por volta das 20h quando o dono do imóvel chegava em casa. Mas, cerca de seis horas depois da ação, policiais da Companhia Independente de Gerenciamento de Crises e Operações Especiais (Cigcoe) acabaram matando um dos assaltantes, identificado como Thiago de Souza Cerqueiro, 25 anos, durante perseguição. Luis Cristiano Camargo Corrêa, 28 anos, que dirigia a caminhonete durante a fuga foi preso em flagrante. A polícia está à procura do terceiro envolvido no crime, Levi da Silva Gonçalves, 38 anos.

A vítima, um empresário do ramo da construção civil, de 39 anos, que estava no imóvel na companhia do padrasto e da mãe que já são idosos, contou que os bandidos chegaram a rondar a casa pelo menos quatro vezes antes de invadirem. "A vítima nos contou que os bandidos chegaram de arma em punho e pedindo a chave da caminhonete. Pegaram o dinheiro, celulares e fugiram quando o irmão da vítima, que mora ao lado, chegou dizendo que havia chamado a polícia", disse um agente do Centro de Polícia Especializada (Cepol) que esteve no local. Nervosos, os bandidos fugiram do local na caminhonete, com os demais pertences roubados e deixaram o Ford Fiesta, de propriedade de um deles.

Na delegacia Luis Cristiano contou que haviam recebido a encomenda de uma caminhonete para levar até a Bolívia e negou que já estivessem de olho na vítima. "Saímos ontem para procurar a caminhonete e achamos ele. Ficamos rondando a casa por meia hora e como as pessoas estavam sentadas na varanda com o portão aberto decidimos entrar", disse no Cepol. Os bandidos receberiam de R$ 15 mil a R$ 20 mil pelo serviço de entrega do veículo na Bolívia.

Perseguição
O sargento da Cigcoe, Juliano Gonçalves Cortez, contou que foram acionados através do Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops) e ao fazer ronda pela cidade se depararam com a caminhonete no Bairro Aero Rancho, onde deu início a perseguição. Ao acionarem a cirene da viatura o condutor, Luis Cristiano, começou a fugir e por conta disso os agentes fizeram dois disparos na roda. "Ele só parou, no Bairro Coophavila e só porque o pneu chegou no aro e não tinha mais como andar. O Luis desceu do carro e já deitou no chão. Ele mesmo nos disse que o comparsa Thiago o aguardava nas proximidades do Cemitério Memorial Park para abastecerem o carro e seguirem para a Bolívia", disse Juliano.

Ao se aproximar da esquina da Rua Francisco Alves Castelo com Senador Filinto Müller avistaram Thiago que ao perceber a presença policial começou a atirar contra a viatura. "Não tivemos outra alternativa senão atirar também. O rapaz foi atingido por dois disparos na região do tórax e morreu ao dar entrada no Pronto-Socorro do Hospital Universitário", explicou o sargento.

Segundo ele, com o bandido morto foi apreendido um revólver calibre 38. Mas, durante a invasão da residência eles estavam armados com uma escopeta calibre 12 e uma pistola. Os agentes do Cigcoe estavam armados com pistolas .40 e submetralhadora .40, mas não foi possível identificar qual tipo de munição atingiu Thiago.

Leia Também