Domingo, 25 de Fevereiro de 2018

CRIMINALIDADE

Assaltante baleado em perseguição policial

16 JAN 2011Por Karine Cortez00h:00

Fernando Pereira Gonçalves, 24 anos, foi baleado na noite de sexta-feira, por militares da Companhia de Gerenciamento de Crises e Operações Especiais (Cigcoe) durante perseguição policial, em Campo Grande.

A troca de tiros aconteceu depois de o bandido, juntamente com um comparsa não identificado, assaltar um casal na Rua Brilhante, em frente ao supermercado Comper.

De acordo com a delegada que atendeu a ocorrência, Fernanda Felix Carvalho Mendes, o bandido foi localizado quando já estava na Vila Nha Nhá e ao avistar os policiais começou a atirar. Os militares revidaram e um dos tiros atingiu a coxa do bandido. O acusado foi levado para a Santa Casa, onde foi medicado e liberado, seguindo direto para a Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac/Piratininga). Ainda de acordo com informações repassadas pela Polícia Civil, as vítimas desceram do ônibus, por volta das 23h30min, e foram surpreendidas por Fernando e mais um comparsa. O rapaz contou que os dois passavam pelo local e ao avistarem o casal decidiram assaltá-lo roubando a bolsa da mulher e uma mochila que estava com o rapaz. Os dois fugiram a pé e com Fernando foi apreendida a arma usada na troca de tiros com a polícia, um revólver calibre 38. Segundo a delegada, o autor foi reconhecido pelas vítimas e os pertences entregues aos respectivos donos.

Portaria
A ocorrência coloca novamente em discussão recente portaria elaborada pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) e Secretaria de Direitos Humanos, portaria interministerial que restringe o uso de arma de fogo pelos policiais. Desde dezembro do ano passado, os agentes de segurança pública estão impedidos de disparar armas de fogo contra pessoas, exceto em casos de legítima defesa própria ou de terceiro contra perigo iminente de morte ou lesão grave.

No ano passado, vários episódios de baleamentos e mortes de suspeitos, pela Polícia Militar, foram registrados na Capital e interior de Mato Grosso do Sul. Em abril, por exemplo, um suposto assaltante em fuga foi morto pela PM no Aero Rancho. Em agosto, em apenas uma semana, quatro outros acusados foram baleados em perseguição policial. No mesmo período, em Três Lagoas, um homem que assassinou um cabo da PM foi morto por militares logo depois. Já no mês de novembro, na Capital, policiais da Companhia Independente de Gerenciamento de Crises e Operações Especiais (Cigcoe) acabaram matando um dos envolvidos em assalto na Vila Carlota.

Leia Também