Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

terça, 19 de fevereiro de 2019 - 22h23min

Asilo humanitário não será pedido por embaixada

20 MAR 10 - 02h:45
A embai xada do Haiti no Brasil desistiu de solicitar asilo humanitário para o grupo de 14 haitianos que entrou ilegalmente no Brasil pela fronteira de Mato Grosso do Sul com a Bolívia. As pessoas – flagradas na última quarta-feira no município de Miranda – estão abrigados no Centro de Triagem e Encaminhamento do Migrante (Cetremi), de Campo Grande, onde devem ficar por cinco dias. De acordo com o embaixador do país caribenho, Idalbert Pierre-Jean “a embaixada não pode solicitar asilo”, explicando que a decisão foi tomada ontem após conversas no Itamaraty e com autoridades de Mato Grosso do Sul e da Polícia Federal. Comitê Porém, o pedido de refúgio humanitário formalizado pela ONG Psicólogos Sem Fronteiras foi aceita pela Polícia Federal e será encaminhada ao Ministério da Justiça (MJ), onde será apreciado pelo Comitê Nacional para os Refugiados (Conare). Até o Conare analisar o pedido – que até a tarde de ontem não havia sido remetido ao ministério – , os haitianos poderão viver normalmente no Brasil e até arrumar emprego. A partir do momento que protocolaram o pedido de refúgio, os haitianos passaram a contar com carteira de trabalho provisória para exercício de atividade remunerada. De acordo com assessoria de imprensa do MJ, o grupo pode se deslocar sem restrições por Mato Grosso do Sul O Conare, presidido pelo Ministério da Justiça, foi o responsável pela concessão, em setembro de 2007, de refúgio aos atletas cubanos Rafael da Costa Capote (handball) e Michel Fernandez Garcia (ciclismo). Os faziam parte de um grupo de quatro cubanos que em julho daquele ano, abandonaram – separadamente – o alojamento da delegação durante os Jogos Pan-Americanos Rio-2007. O Conare é formado por outros órgãos federais e entidades não-governamentais, como o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur) e a Cáritas Arquidiocesana. O refúgio é concedido quando fica caracterizado que houve perseguição no país de origem ou temor de retorno.
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

CRISE NO GOVERNO

Contra crise, Bolsonaro pede que equipe trate Bebianno como 'página virada'

FUTEBOL 2019

Elenco do Fluminense faz greve e não treina em protesto por falta de salários

BRASIL

Pacote anticrime não atrapalha andamento da reforma da Previdência, diz Moro

CRISE NO GOVERNO

Exonerado, Bebianno retira foto com Bolsonaro em rede social

Mais Lidas