Artuzi promove nova troca no secretariado

Artuzi promove nova troca no secretariado
01/05/2010 05:33 -


Com problemas na articulação política da administração – principalmente no relacionamento com a Câmara Municipal – Ari Artuzi (PDT) decidiu fazer novas mudanças em seu secretariado. A dança das cadeiras provocou duas trocas no primeiro escalão.

Ontem, o prefeito anunciou a troca no comando da Secretaria Municipal de Governo. O jornalista Eleandro Passaia assumiu a pasta no lugar de Alziro Moreno, que foi nomeado procurador-geral do município. Fernando Baraúna, que era o titular da procuradoria, foi nomeado assessor especial de gabinete.
Além de assumir a pasta de Governo, Passaia continuará respondendo pelo comando da Assessoria de Comunicação (Assecom). Ele passará a acumular os dois cargos. O jornalista Hélio de Freitas, que era chefe de redação da Assecom, também foi promovido, sendo nomeado coordenador de comunicação.
A mudança ocorre principalmente por causa dos problemas que o prefeito está enfrentando junto à base aliada na Câmara Municipal, onde, nos últimos meses, perdeu apoios importantes dos vereadores Dirceu Longhi (PT) e Délia Razuk (PMDB).

A situação é tão crítica que, na semana passada, Humberto Teixeira Júnior (PDT) deixou a função de líder do prefeito na Câmara para participar da CPI da Saúde e, até ontem, Artuzi ainda não havia conseguido que outro vereador assumisse a incumbência de ser o principal defensor da administração no Legislativo.

Embora o prefeito não assuma publicamente, outras mudanças poderão ocorrer. Nos bastidores da política local correm informações de que os secretários Mário Eduardo Rocha, de Saúde; Itaciana Santiago, de Assistência Social, e Marlene Vasconcelos, de Educação, podem ser os próximos a sair. (FD)
smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".