Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

sábado, 16 de fevereiro de 2019 - 15h29min

Artuzi e Tetila serão alvos de CPI aprovada por vereadores

23 MAR 10 - 08h:17
A Câmara Municipal de Dourados recebeu, na noite de ontem, pedido de instauração de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a saúde pública, alvo de denúncias de falhas e irregularidades envolvendo o prefeito Ari Artuzi (PDT) e o ex-prefeito Laerte Tetila (PT). Como foram obtidas quatro assinaturas, número mínimo necessário, a bancada de apoio ao prefeito não pode evitar a criação da CPI, que será instalada nesta semana. Assinaram o requerimento os vereadores Dirceu Longhi (PT), autor do pedido, Gino Ferreira (DEM), Marcelo Barros (DEM) e Delia Razuk (PMDB). Entrevista de Tetila a uma rádio local, no sábado, pode ter precipitado a formação da CPI. Na ocasião, ele rebateu as declarações de Artuzi de que, para a prefeitura rescindir o contrato de arrendamento do Hospital da Mulher (HM), de propriedade da família Uemura – denunciada pelo Ministério Público por fraudes em licitações e formação de quadrilha, entre outros crimes – seria obrigatório o pagamento de multa de R$ 1,3 milhão. Tetila afirmou que a quantia seria de R$ 540 mil, valor que poderia cair pela metade mediante negociação. Artuzi disse que tem interesse em passar o atendimento do HM para as instalações do Hospital Evangélico, que administra o SUS em Dourados, mas alegou que a multa é muito alta. O arrendamento do Hospital da Mulher foi assinado por Tetila, pelo valor de R$ 100 mil mensais, quando o Hospital Evangélico suspendeu o atendimento do SUS. Longhi, em seu discurso na Câmara, às 20h20min de ontem, mostrou cópias de notícias sobre “o caos da saúde em Dourados”. Ele apontou a falta de medicamentos, especialidades (como radioterapia), médicos e materiais básicos, como luvas descartáveis, mesmo tendo a Secretaria de Saúde realizado licitações no final do ano passado para suprir as deficiências. Marcelo Barros, ao final do pronunciamento de Longhi, quando anunciou o pedido de CPI, exigiu que a investigação se estendesse também à administração de Tetila, “porque tudo isso começou no seu governo”. O petista aceitou a inclusão do período de gestão do ex-prefeito na CPI.
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

FIM DA ANGÚSTIA

Familiares de mulher que teve o corpo furtado realizam terceiro sepultamento

Rosilei Potronieli, de 37 anos, foi assassinada na semana passada em Terenos
MEIO AMBIENTE

Ministro contraria Ibama e diz que plantação em área indígena não é ilegal

Ambulância é arrombada e furtada  em pátio da Central de Regulação
CAMPO GRANDE

Ambulância é furtada em pátio da Central de Regulação

Goleiro Jefferson afirma não ter sido chamado para seleção por racismo
FUTEBOL

Goleiro Jefferson afirma não ter sido chamado para seleção por racismo

Mais Lidas