Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Assine a Newsletter

Artuzi é expulso do PDT e diretório ganha novo comando

11 SET 10 - 09h:11
Lidiane kober

Por unanimidade, a Executiva Regional do PDT expulsou o prefeito Ari Artuzi do partido, dissolveu o diretório de Dourados e nomeou o ex-deputado federal José Elias Moreira para comandar a legenda no município. A medida leva em conta a prisão do prefeito e do presidente municipal da sigla, o vereador Edvaldo Moreira, acusados de fraude em licitação, corrupção e formação de quadrilha. O esquema foi desmantelado pela Polícia Federal na Operação Uragano.
O processo de afastamento de Artuzi começou na última sexta-feira (3), quando a Executiva acionou o Conselho de Ética depois de Sérgio Roberto Castilho Vieira, militante do partido, apresentar representação contra o prefeito. O relator do caso foi o presidente de honra do PDT, João Leite Schimidt. Ele pediu a expulsão de Artuzi e ganhou o apoio de todos integrantes da executiva.
Além da suspeita de chefiar o esquema de corrupção na Prefeitura de Dourados, pesou contra Artuzi, segundo o presidente regional do PDT, deputado federal Dagoberto Nogueira, indisciplina partidária. “O prefeito traiu o partido ao anunciar publicamente apoio aos nossos adversários, tanto candidatos a deputado quanto senador e governador”, disse. Contrariando decisão da executiva de aliança com o PT, Artuzi pediu votos em favor do governador André Puccinelli (PMDB), dos candidatos a senador Waldemir Moka (PMDB) e Murilo Zauith (DEM) e para o deputado estadual Ary Rigo (PSDB).

Intervenção
Além de expulsar Artuzi do partido, a Executiva dissolveu o Diretório Municipal do PDT, até então, comandado por aliados do prefeito. A presidência da equipe interventora está nas mãos do ex-deputado federal José Elias. Também integram a comissão provisória Diolino Rodrigues de Souza, Jorge Luis de Souza, Wellington Câmara Figueiredo e Samir Pascoal Anache.
Caberá ao grupo reerguer o partido em Dourados e decidir o futuro dos três vereadores do PDT — Edvaldo Moreira, Humberto Teixeira Júnior e Aurélio Bonatto — presos por supostamente participar do esquema de fraudes em licitação na prefeitura.
Conforme Shimidt, a comissão provisória deverá se reunir ainda hoje em Dourados para tratar do destino dos vereadores. Ele acredita que deverá ser aberto processo para investigar a partipação dos três nos crimes apurados pela PF na Operação Ugarano. O dirigente garantiu ampla defesa aos acusados.
A expectativa é de que José Elias permaneça no comando do PDT de Dourados por 90 dias. “Neste período, teremos que renascer das cinzas para não causar danos à história do partido”, comentou Schimidt.
Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Empresário que estava em motel com mulher que surtou foi ouvido nesta tarde
SURTO NO MOTEL

Empresário que estava com mulher que surtou foi ouvido nesta tarde

Empreendedores de MS terão R$ 1,7 bilhão para investimentos em 2020
FCO

Empreendedores de MS terão R$ 1,7 bilhão para investimentos em 2020

Árvores da Avenida Mato Grosso recebem tratamento após morte de figueira
MANEJO

Árvores da Avenida Mato Grosso recebem tratamento após morte de figueira

Roberta D'Albuquerque: "Conserto a preço justo"
COMPORTAMENTO

Roberta D'Albuquerque: "Conserto a preço justo"

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião