Terça, 20 de Fevereiro de 2018

DA CADEIA

Artuzi e Cantor renunciam e Dourados terá nova eleição

2 DEZ 2010Por Fábio Dorta, Dourados00h:00

O prefeito de Dourados Ari Artuzi (sem partido) e o vice-prefeito Carlinhos Cantor (PR) renunciaram aos cargos. Os pedidos de renúncia foram protolocados ontem, por volta das 17 horas, na secretaria da Câmara Municipal. O vereador e ex-presidente da Câmara Sidlei Alves (sem partido) também desistiu do mandato. Os três foram presos no último dia 1º de setembro na Operação Uragano da Polícia Federal.

Com as renúncias de Artuzi e Cantor, a Mesa Diretora da Câmara Municipal de Dourados irá comunicar hoje à Justiça Eleitoral a vacância dos cargos. Como eles renunciaram antes de completar dois anos de mandato, novas eleições deverão ser convocadas pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), conforme determina a Constituição Federal.

Os pedidos de renúncia também encerram automaticamente os trabalhos das comissões processantes instaladas pela Câmara contra Artuzi e Cantor e que poderiam culminar com a cassação. O fato de abrirem mão dos mandatos também não garante que os dois e Sidlei Alves sejam colocados em liberdade.

Cartas de renúncia
Em uma carta digitada e assinada por ele e mais duas testemunhas, Artuzi disse que renunciou ao mandato para garantir que possam ser realizadas eleições diretas. "Esclareço que renuncio ao mandato para garantir ao povo de Dourados a realização de eleições diretas de imediato, acabando de vez com a discussão que está sendo travada, infelizmente, na forma das futuras eleições", afirmou o prefeito em um dos trechos do documento.

Em outro trecho o agora ex-prefeito reclama que a Comissão Processante (CP) não garantiu que ele tivesse amplo direito à defesa e demonstrou ter a certeza que seu mandato seria cassado. "Além disso, o jogo político hoje existente na Câmara Municipal levará à minha cassação, independente de qualquer defesa que eu apresente, como se denota das várias decisões já proferidas pela Câmara, que se recusa até mesmo a intimar minhas testemunhas para depor, mesmo sabendo da minha condição de preso", disse Artuzi em outro trecho da carta.

O prefeito encerrou requerendo que sua decisão seja notificada tanto à Mesa Diretora da Câmara Municipal como ao TRE. "A presente renúncia é feita de forma livre a espontânea e expressa meu efetivo e real desejo", finalizou. Ele assinou a carta na penitenciária federal em Campo Grande, onde está preso.

Já o vice-prefeito Carlinhos Cantor escreveu a carta de renúncia de próprio punho. O teor tem semelhanças com o documento de Artuzi e Cantor também reclama da postura da CP da Câmara. Igualmente ele afirma que abre caminho para a realização de eleições diretas para prefeito.

Já Sidlei Alves entregou uma carta digitada em que afirma que renunciou ao mandato de vereador por razões de cunho pessoal. Carlinhos Cantor e Sidlei assinaram as cartas de renúncia na Penitenciária de Segurança Máxima Harry Amorim Costa em Dourados, onde estão presos.

Leia Também