Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Assine a Newsletter

Artesanato em alta

23 JUL 10 - 10h:42
SCHEILA CANTO

Houve um tempo em que as pessoas que decoravam a casa com artesanato corriam o risco de entrar na lista do “gosto duvidoso” ou de serem rotuladas com a palavra em inglês kitsch. Ou então enquadravam-se no rótulo do rústico, criando um clima superdespojado para abrigar peças feitas à mão, ainda que morassem na selva de pedra.
A situação agora é outra. Aos poucos, até designers de interiores passaram a conjugar o visual clean ditado por Milão com a autenticidade das peças artesanais, tanto as “made in Brasil”, como as estrangeiras, que entram na moda étnica.
A boa notícia para quem vibra com a criatividade do artesanato é que não é mais preciso montar um visual rústico para abrigá-lo, nem deixar as peças confinadas nas casas do sítio ou da fazenda. Hoje, ele é valorizado nos ambientes urbanos, dentro de projetos sofisticados, servindo, inclusive, para “aquecer” esses espaços. “O contemporâneo admite que o estilo clean conviva com objetos feitos à mão”, diz a arquiteta Milene  Estrela, coordenadora do Curso Superior em Design de Interiores do Centro Universitário Anhanguera de Campo Grande.
É justamente para mostrar esta nova proposta que a professora e mais cinco alunos do 2º ano do curso montaram na Feira do Empreendedor, aberta ontem, no Pavilhão Albano Franco, três espaços (1 sala de estar, 1 ambiente corporativo e 1 área de lazer corporativa) onde os produtos de artesanato estejam inseridos, valorizando e fomentando a aplicabilidade de peças no contexto dos projetos de interiores.
Segundo Milene Estrela, as pessoas estão cansadas de todo esse clima hi-tech. “O artesanato aquece com seus tons de terra, e contrasta com as cores frias dos móveis contemporâneos”, defende.
Na Feira do Empreendedor 2010, organizada pelo Sebrae/MS, os artigos regionais estão sendo privilegiados. Objetos feitos com chifre de boi, fibra de taboa, cabaça, entre outras matérias-primas ganharam destaque na ambientação.

Aposta certeira
A escolha de peças artesanais para decoração deve ser criteriosa. Em primeiro lugar, observe se você realmente se identifica com a peça. “O ideal é escolher um objeto mais leve, que não seja muito rebuscado e que tenha tons amenos”, recomenda Milene. Muitas vezes, os amantes do artesanato pecam pelo excesso: sobrecarregam a casa com as peças feitas à mão, correndo o risco de deixá-la entulhada de cacarecos, que, às vezes, não têm a menor harmonia entre si.
E aí, o que fazer? “Tudo depende da personalidade dos moradores: quando se trata de um casal mais conservador, o ideal é ter um fundo neutro, se há muito artesanato colorido”, responde a arquiteta. “Mas um jovem pode aproveitar e fazer uma parede colorida, combinando com os objetos”, acrescenta.

Boas combinações
Se bem dosadas, as peças artesanais podem combinar com qualquer estilo de decoração, do contemporâneo ao clássico. Para a professora e arquiteta, o segredo é valorizá-las, dando contraste e um toque final aos ambientes.
Para evitar a cafonice, não misture peças de cerâmica com fuxico ou palha. O ideal é ter um ambiente limpo com alguns trabalhos valorizados. Quando o morador tem muitas peças, deve agrupá-las numa estante, como uma coleção.
Na opinião de Milene, o que está em alta na vasta gama dos produtos feitos à mão são as cerâmicas (nas versões contemporânea e regional); as peças étnicas indígenas e objetos de palha. Mas os modismos pouco devem influenciar na escolha: na hora de comprar peças artesanais, deve prevalecer mesmo o gosto de cada um.
Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

BRASIL

Ministério da Saúde descarta caso de coronavírus no RJ

Tribunal de Contas rejeitou recurso e manteve condenação de Dagoberto
R$ 4 MILHÕES

Tribunal de Contas rejeitou recurso e manteve condenação de Dagoberto

Ana Maria Braga revela que foi diagnosticada com câncer de pulmão novamente
APRESENTADORA

Ana Maria Braga revela que foi diagnosticada com câncer de pulmão novamente

Com maiores salários, Tribunal de Justiça poderá ter mais três desembargadores
MATO GROSSO DO SUL

Com maiores salários, Tribunal de Justiça poderá ter mais três desembargadores

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião