Quarta, 21 de Fevereiro de 2018

CONSELHO PRÓPRIO

Arquitetos sairão da tutela do Crea

29 DEZ 2010Por VIVIANNE NUNES 09h:44

Arquitetos e Urbanistas de todo o Brasil terão Conselho próprio a partir do dia 11 de janeiro, quando a lei do presidente Luis Inácio Lula da Silva aprovada em 21 de dezembro deverá ser sancionada pela já empossada presidente Dilma Rousseff. Para o arquiteto presidente da Federação Naciomal dos Arquitetos, Ângelo Arruda, essa é uma grande conquista comemorada por toda a categoria, que até então estavam organizados dentro do Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Urbanismo (Crea).

“Com isso consolidamos uma vitória de 50 anos de luta da categoria que agora passa a se organizar em um conselho próprio”, explica Arruda. Para ele, o Crea tem muitas profissões para fiscalizar o que impedia o trabalho de ser feito de maneira ideal. “Temos diferenças no trato profissional”, argumenta.

A conquista política da categoria celebra ainda o fato de que desde 1981 o governo não enviava mensagens ao poder Legislativo criando conselhos. O senador José Sarney chegou a encaminhar um projeto mas o Plenário entendeu que a criação era inconstitucional já que seria essa uma incombência do presidente da República.

De acordo com o arquiteto, o Brasil possui hoje 850 mil profissionais registrados em todos os Creas. “Nós somos apenas 10% da categoria”, reclamou explicando que não se trata de uma questão de quantidade, mas de perfil dos profissionais. Muitos fazem parte do Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (Confea), que é uma entidade responsável pela fiscalização profissional no Brasil. Dos 24 conselheiros, quatro são arquitetos que não estão gabaritados a responder sobre a Indústria do Álcool, por exemplo. Da mesma forma, segundo ele, os engenheiros não poderiam optar sobre o tombamento histórico de um patrimônio. “São muitos profissionais de diferentes áreas regidos por um único conselho”, enfatizou.

Ângelo Arruda, que a partir do próximo ano passa a ser vice-presidente da Federação Nacional de Arquitetos e Urbanistas, passa agora a ter a missão de organizar e implementar, durante um ano, os Conselhos Regionais de Arquitetura e Urbanismo, então denominados CAU´s em um período de doze meses. Neste tempo, os responsáveis pelo Crea de cada Estado deverá direcionar a verba de arrecadação dos profissionais de arquitetura para o novo Conselho.

Em Mato Grosso do Sul são 1.450 profissionais. “Estamos entre os estados brasileiros que têm equilibrio por núimero de habitantes. Aqui no Estado apenas quarenta cidades não possuiem arquiteto residente”, concluiu.
 

Leia Também