Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Arquiteta tentou romper sociedade no dia do crime

8 JUL 10 - 09h:51
MICHELLE ROSSI

Há quase uma semana preso em uma cela da 4ª Delegacia de Polícia, o projetista Luís Afonso Andrade, 42 anos, acusado de matar a arquiteta Eliane Nogueira, 39 anos, contou ontem, em entrevista ao Correio do Estado, que no dia do crime se reuniu com a esposa para tentar romper a sociedade e esclarecer assuntos financeiros.  Ele confirmou que ambos estavam se separando, mas precisa resolver algumas questões já que têm negócios juntos.

“Pela manhã ela me ligou cobrando um contrato que retirasse o nome dela da loja (Luz e Design, localizada na Rua José Antônio) e disse que o advogado dela passaria na loja para pegar o documento comigo. Mas à tarde, a história foi outra. Nós nos reunimos na loja e acabamos acertando as coisas de forma verbal, porque ela rasgou o contrato”, disse o projetista, que está preso desde o dia 2 deste mês, quando Eliane foi encontrada morta com o corpo carbonizado dentro de seu carro no Bairro Vilas Boas, em Campo Grande. O laudo pericial que indica a causa da morte ainda não divulgado.

Luís disse que sua situação financeira está bastante difícil e que inclusive tirou seu nome da loja em dezembro do ano passado, nomeando Eliane como proprietária. “Eu tenho uma dívida de cerca de R$ 50 mil reais com a loja. As coisas andavam bem difíceis para nós. Quando nós nos casamos éramos dois ‘quebrados’ e a proposta era um ajudar o outro – aliás, tínhamos essa cumplicidade. No último ano é que Eliane começou a ganhar um pouco mais de dinheiro, mas a situação ainda estava difícil”, disse.

Fora o endividamento da loja, Luís ainda disse que deve ao Banco do Brasil mais de R$ 100 mil, “em razão do mau-caratismo de um sócio  em outro negócio”, mas que estava há alguns meses tentando recompor a situação financeira com um trabalho que estava prestes a desenvolver em Curitiba (PR), cidade onde nasceu e morou até 2006, quando se mudou para Campo Grande. “Eu estava com projetos numa grande empresa lá de Curitiba e ia começar a colocar as contas em dia”, apontou.   
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Após conseguir semiaberto, goleiro Bruno pode deixar prisão a qualquer momento
BRASIL

Após conseguir semiaberto, goleiro Bruno pode deixar prisão a qualquer momento

Nasce filha da primeira bebê nascida por inseminação em MS
ESPERANÇA

Nasce filha da primeira bebê nascida por inseminação

Agetran anuncia interdição de vias para final de semana
CAMPO GRANDE

Agetran anuncia interdição de vias para final de semana

Mesmo votando fora da base, deputados são pré-candidatos
ELEIÇÕES 2020

Mesmo votando fora da base, deputados são pré-candidatos

Mais Lidas