Campo Grande - MS, quinta, 16 de agosto de 2018

CARTÃO DE CRÉDITO

Aquisição de pré-pagos de viagem não muda

27 ABR 2011Por INFOMONEY00h:02

A utilização dos cartões pré-pagos de viagem não aumentou de forma significativa nas últimas semanas, após o anúncio de elevação do IOF (Imposto sobre Movimentação Financeira) de 2,38% para 6,38% nas compras no exterior com o cartão de crédito.

“O que temos percebido é que está aumentando a necessidade de esclarecimento de funcionamento do produto. Os clientes têm procurado entender melhor como funciona o cartão pré-pago, já que as compras com cartão de crédito em viagens internacionais ficarão muito mais caras”, afirma o presidente do grupo Fitta, André Nunes.

O diretor da Sacs, administradora de cartões do grupo Confidence, Luis Lobo, também afirma que não houve alterações importantes na venda de cartões pré-pagos. “Por mais que tenha sido bem divulgado, ainda não vejo crescimento tão grande. Isso ainda deve levar um tempo”, aponta.

A medida foi publicada no Diário Oficial da União no dia 28 de março, mas a incidência do imposto ocorre depois de 30 dias.

Férias
Para o presidente do Grupo Fitta, em até dois meses, será possível ter uma ideia melhor do impacto na venda deste tipo de cartão. “Daqui há mais ou menos 40 ou 50 dias teremos uma noção maior maior de qual foi o impacto nas vendas. O anúncio foi feito numa época do ano em que o número de viagens não é tão grande”, diz Nunes.

O diretor da Confidence concorda. “É um processo que requer tempo e muita divulgação. Isso vai se definir mais adiante, principalmente no período de férias”, acredita.

Expectativa de crescimento
Após o anúncio do aumento de IOF nas compras com cartões de crédito, as empresas aumentaram as projeções de crescimento para este ano. De acordo com Nunes, no início do ano, o grupo Fitta trabalhava com uma expectativa de aumento de 100% na comercialização de cartões pré-pagos.

“Depois da notícia de aumento do imposto, passamos a estimar um crescimento em torno de 200% este ano. Mas ainda é muito cedo para afirmar. O cartão de crédito era responsável por 65% dos gastos no exterior e acreditamos que uma boa parte desses gastos vá migrar, inclusive para os cartões pré-pagos”, conclui Nunes.

Vantagens
Em relação ao cartão de credito, o presidente do grupo Fitta ressalta que a principal vantagem do cartão pré-pago é a financeira. “6,38% de imposto é muita coisa”, ressalta Nunes.

Já em relação à moeda em espécie, a principal diferença é a segurança e a comodidade. “Você não precisa levar moedas de diversos países no bolso. Além de ser muito mais seguro, quando você está viajando e paga com dólar você perde na conversão e ainda recebe troco em moeda local. Isso faz com que você acabe ficando com moedas de diversos países, dependendo do tipo de viagem que está fazendo”, aponta o executivo.
 

Leia Também