Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

terça, 19 de fevereiro de 2019 - 22h19min

Aquecimento na Antártica será menos intenso

2 JUL 12 - 11h:30band

O aquecimento climático na Antártica será "menos pronunciado" que o previsto graças ao aumento das nevascas, anunciaram cientistas franceses. "As previsões de aquecimento teriam que ser revisadas com baixa de 0,5°C para o centro do continente austral", afirma um comunicado do CNRS (Centro Nacional de Pesquisas Científicas), com base em estudos do laboratório de geofísica do meio ambiente de Grenoble (França) e da Universidade de Laval (Canadá).

O aumento das temperaturas na Antártica implica um maior número de precipitações e, portanto, uma neve mais "branca" que reduzirá a magnitude da mudança climática no centro do continente, segundo os cientistas. No caso da temperatura do continente subir 3°C, o aumento das precipitações de neve aumentaria suficientemente o albedo (radiação que reflete qualquer superfície).

Um albedo alto esfria o planeta porque a luz ou radiação absorvida e aproveitada é mínima. O albedo mais elevado é o da neve recente. No futuro, sob o efeito do aquecimento global, "é possível esperar um aumento das precipitações de neve na Antártica", afirma o CNRS. Os estudos, publicados na revista Nature, "permitem avaliar melhor o papel da neve nos modelos utilizados para prever a evolução do clima mundial", completa o CNRS.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

CRISE NO GOVERNO

Contra crise, Bolsonaro pede que equipe trate Bebianno como 'página virada'

FUTEBOL 2019

Elenco do Fluminense faz greve e não treina em protesto por falta de salários

BRASIL

Pacote anticrime não atrapalha andamento da reforma da Previdência, diz Moro

CRISE NO GOVERNO

Exonerado, Bebianno retira foto com Bolsonaro em rede social

Mais Lidas