Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

Apreendido outro carregamento de cigarros

Apreendido outro carregamento de cigarros
24/02/2010 06:48 -


Agentes do Departamento de Operações de Fronteira (DOF) barraram ontem, na MS-164, mais um carregamento de cigarros contrabandeados do Paraguai. A apreensão de 34,6 mil pacotes do produto aconteceu durante fiscalização na rodovia, trecho que liga Ponta Porã ao Assentamento Itamarati e distrito de Itahum, em Dourados. O motorista responsável pelo transporte da mercadoria foi autuado em flagrante. Segundo as informações divulgadas pelo DOF, por volta das 6h30min os agentes faziam bloqueio na rodovia, momento em que pararam para fiscalização a carreta Volvo de placas BWQ-6787, conduzida por Rafael Aparecido Fernandes, de 26 anos, morador na cidade paranaense de Umuarama. Durante a vistoria na carroceria, os policiais constataram a existência de um carregamento de 34.641 pacotes de cigarros de diversas marcas, armazenados em 692 caixas. Ao ser questionado sobre o produto, Rafael Fernandes disse que tinha sido contratado para levá-lo da divisa de Ponta Porã com Pedro Juan Caballero, no Paraguai, até o Estado de São Paulo. Os agentes do DOF fizeram a detenção do motorista e em seguida o encaminharam juntamente com a carga contrabandeada para a Polícia Federal em Ponta Porã. Outros No último final de semana, agentes da Polícia Federal em Naviraí apreenderam três carretas graneleiras também carregadas de cigarros contrabandeados do Paraguai. Foram retidas mais de 2.450 caixas do produto, correspondendo a R$ 2 milhões. Duas outras grandes apreensões de cigarros paraguaios aconteceram nos meses de novembro e dezembro. No dia 24 de novembro na estrada que liga Caarapó a Amambai, policiais federais barraram uma carreta carregada do produto e dois dias depois foram mais quatro carretas, totalizando cinco mil caixas. No mês de dezembro, na BR-262, em Campo Grande, foram retidas duas carretas com 600 caixas cada uma, e em Ribas do Rio Pardo, também na BR-262, um caminhão-tanque carregado do produto. (EJA)

Felpuda


Apesar de ainda fazer certo charme no estilo “se chamar, vou pensar” é praticamente certo que ex-candidato ao governo do Estado nas eleições passadas não participará da disputa pela Prefeitura de Campo Grande. Nos meios políticos é falado que não se trata de “novidade” e que não haverá mais cavalo encilhado passando na sua frente. Ele ainda insinua que poderá voltar em 2022, mas há quem diga que não precisará pensar, pois faltará a tal da “chamada”.