CONSCIENTIZAÇÃO

Apps para celular ajudam a economizar água

Apps para celular ajudam a economizar água
13/02/2014 11:00 - jornalacidade


Na tela do celular, há algumas alternativas para quem quer mudar os hábitos em relação ao consumo de água. De forma bem humorada, aplicativos gratuitos para smartphones conscientizam e propõem desafios sobre a abertura desnecessária do chuveiro e a duração do banho.

O aplicativo Fake shower, por exemplo, imita o som de um chuveiro aberto e mostra quanta água teria corrido caso a torneira fosse real. A ideia é propor uma alternativa para as pessoas que deixam o chuveiro ou a torneira abertos para que o som disfarce ruídos indesejados no banheiro. Criado pelo Instituto Akatu, que defende o consumo consciente, o aplicativo para iPhone tem mais de 150 mil downloads desde a sua criação em março de 2012.

"Estima-se que, com esses downloads, se as pessoas não abriram a torneira, 11 milhões de litros de água, ou seja, o equivalente a quatro piscinas olímpicas cheias, não tenham sido desperdiçados", disse Helio Mattar presidente do Akatu.

Uma outra forma de utilizar o aplicativo é acioná-lo simultaneamente e nas mesmas condições da vazão do chuveiro para ver o gasto de água no final do banho. De autoria desconhecida, mas com as mesmas características, o aplicativo Fake a shower está disponível no Sistema Android e também é gratuito.

Já para diminuir a duração do banho tem o Sai desse Banho, que só pode ser usado por quem tem iPhone.

O aplicativo estimula as pessoas a reduzirem o tempo do banho. Para castigar os gastadores de água, uma música irritante é tocada quando o usuário ultrapassa o tempo previamente selecionado. Criado pela Grupo Fischer, teve 10.724 dowloads desde 2011. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".