Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Aposentados se mobilizam para votação de reajuste de benefícios

27 ABR 10 - 07h:51
AGÊNCIA ESTADO, SÃO PAULO

Representantes de aposentados e centrais sindicais estarão hoje em Brasília acompanhando a votação da Medida Provisória 475/09, na Câmara Federal, que trata do reajuste dos benefícios daqueles que ganham acima de um salário mínimo. Os aposentados pretendem pressionar os parlamentares para que a elevação de 7,71%, já acordada entre Câmara e Senado, seja aprovada.
Na semana passada, a administração federal sinalizou que pretende manter o aumento de 6,14%, como consta no texto da MP. Na sexta-feira, o ministro de Relações Institucionais, Alexandre Padilha, afirmou que o Governo decidiu manter o porcentual, que está sendo concedido desde janeiro por força de medida provisória.
O relator da MP, deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP), surgiu com a proposta de reajuste escalonado (7,71% para quem recebe até três mínimos, ou R$ 1.395, e 6,14% para valores acima disso), mas ainda não há acordo sobre a proposição. Mais de 70% dos aposentados do País ganham até três mínimos. Mas Padilha já disse que os ministérios da Fazenda e da Previdência consideram que a medida abre espaço para questionamentos judiciais.
Os aposentados poderiam alegar que o escalonamento fere o princípio da equidade, já que todos teriam direito ao mesmo porcentual de aumento. Moacir Meirelles, secretário-geral da Confederação Brasileira de Aposentados e Pensionistas (Cobap), se disse confiante na aprovação do índice de 7,71% (inflação mais 80% do aumento do PIB de 2008) e na sanção pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. “O presidente Lula não vai vetar, por se tratar de um ano eleitoral”, afirmou. A Cobap disse que vai divulgar os nomes dos parlamentares que votarem contra o reajuste.
A Força Sindical pretende realizar uma manifestação a partir das 10h na Câmara. A votação deve começar às 16h30min. Já a Central de Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) deve levar um grupo de dirigentes para conversar com os deputados, a fim de impedir que a discussão seja adiada mais uma vez. “Queremos que haja votação. A Previdência pode perfeitamente arcar com essa elevação”, disse Joilson Cardoso, secretário de política sindical da entidade.
Com o reajuste linear de 6,14% para todas as faixas, como prevê a MP, o aumento da despesa estimada para o INSS seria de R$ 6,701 bilhões, segundo cálculos do governo. Com uma elevação de 7,71%, esse valor subiria mais R$ 1,1 bilhão ao ano.
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Polícia investiga denúncia de criança estuprada por adolescente em associação de câncer infantil
CAMPO GRANDE

Mãe denuncia que filho foi estuprado por adolescente em instituição contra o câncer

Requalificação da 14 de Julho<br> já tem 85% das obras concluídas
REVIVA CAMPO GRANDE

Requalificação da 14 já tem 85% das obras concluídas

Adélio diz que esfaqueou Bolsonaro "após ouvir voz de Deus"
PRESO EM CAMPO GRANDE

Adélio diz que esfaqueou Bolsonaro "após ouvir Deus"

O primeiro robô brasileiro <br>com Inteligência Artificial, o Tinbot,<br> vêm à Campo Grande
TECNOLOGIA

O primeiro robô brasileiro com Inteligência Artificial, o Tinbot, vêm à Campo Grande

Mais Lidas