quinta, 19 de julho de 2018

CONFUSÃO

Após rebelião com feridos, visita na Unei é suspensa

15 NOV 2010Por ANIELLA ARRUDA00h:30

Fuga de 14 adolescentes deixou três agentes de medida socioeducativa feridos e suspendeu as visitas ontem na Unidade Educacional de Internação (Unei) Dom Bosco, situada na região da saída para Aquidauana. A ação aconteceu por volta das 18h de anteontem, ao final do horário de visitas, envolvendo internos de três dos oito alojamentos da unidade. Onze menores continuavam foragidos até o fechamento dessa edição.

O incidente é o sexto registrado no local desde agosto, mês em que a Unei foi transferida provisoriamente para as instalações da antiga Colônia Penal Agrícola, por decisão judicial, por causa da falta de estrutura da sede original (veja matéria nesta página). Amanhã, está programada reunião da superintendência de Assistência Socioeducativa da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), Vara de Infância e Juventude com a diretoria da Unei, para traçar metas que serão adotadas na unidade até o fim do ano, período considerado crítico para ocorrência de rebeliões e tentativas de fuga por causa da proximidade das festas de Natal e Ano Novo.

Um dos pontos discutidos será o uso de tonfas (cassetetes), que foi suspenso por determinação do Ministério Público em setembro deste ano. A questão gera polêmica porque para os agentes de medida socioeducativa, os instrumentos são uma forma de garantir a própria segurança. O próprio diretor da Unei Dom Bosco, Guilhermo Aguiar, reconheceu ontem que com a fuga deste fim de semana, resultando em três servidores feridos, chegou-se a uma situação limite. “A partir do momento em que acontece uma situação limite, temos que repensar a situação”, comentou.

Tocaia
Conforme informações do diretor da Unei, anteontem havia nove agentes de medida socioeducativa para cuidar de 67 adolescentes internados, efetivo que segundo ele é o padrão adotado para a unidade. “Eles serraram uma das celas, saíram e passaram a arrebentar os cadeados das outras. Depois prepararam uma tocaia, esperando os agentes entrarem no alojamento para então fazer um cerco e empreender fuga. Por pouco, não fizeram reféns”, explicou. Uma vez fora dos alojamentos, os adolescentes pularam os muros laterais da entrada principal, passando inclusive pela concertina (cerca de arame farpado), para então sair correndo em meio ao mato.  

Policiais militares recapturaram três adolescentes logo após o episódio e a Companhia de Gerenciamento de Crises e Operações Especiais (Cigcoe) realizou varredura das instalações, recolhendo chuchos (facas artesanais) e também cabos de vassoura contendo vergalhões na ponta, que foram utilizados pelos adolescentes infratores para dominar os agentes e fugir. O número de artefatos apreendidos não foi divulgado, já que de acordo com a diretoria muitos internos fugiram levando as armas, porém segundo informações de agentes da unidade, foi possível visualizar pelo menos 15 chuchos com os adolescentes durante o motim.

Um dos agentes feridos pelos menores sofreu perfuração na altura do peito, o outro teve lesões no rosto e no abdome e o terceiro foi ferido nas costas. Todos foram socorridos e encaminhados para o Hospital Sírio Libanês, sendo liberados durante a madrugada de ontem. As vítimas registraram boletim de ocorrência no Centro de Polícia Especializada (Cepol) por tentativa de homicídio e compareceram ao Instituto Médico-Odontológico Legal (Imol) para fazer exames de corpo de delito.

Por causa da fuga, a cela serrada pelos adolescentes foi desativada e as visitas de ontem foram suspensas. Segundo o diretor da Unei Dom Bosco, não houve alteração no efetivo de agentes da unidade, já que a escala de plantão é de 24 horas para 72 horas. A Polícia Militar continua realizando buscas aos outros adolescentes foragidos da Unei.

Leia Também