segunda, 16 de julho de 2018

TRÂNSITO

Após quase uma década, rua volta a ter utilidade

16 DEZ 2010Por bruno grubertt00h:00

Hoje cheia de entulhos, terra e materiais usados nas obras de contenção de enchente feitas na região do Shopping Campo Grande, a Rua Dr. Mauro Rogério de Barros Wanderley, situada na lateral da Avenida Via Parque e que não tem saída, será caminho para chegar até a Rua Arquiteto Rubens Gil de Camillo. Depois de quase uma década sem utilidade, a via poderá ser uma alternativa para desafogar o tráfego em todas as avenidas da região do Shopping.

As obras de prolongamento da via não serão feitas junto com as intervenções para contenção de enchentes e ainda dependem da abertura de licitação para serem iniciadas. As informações são do secretário da Infraestrutura Transporte e Habitação, João Antônio De Marco. Segundo ele, os entulhos e a terra que estão sobre a rua, consequência das obras de contenção na região, não prejudicam nada, já que a rua ainda não é usada para o trânsito.

Para o reordenamento do trânsito, a Rua Dr. Mauro Rogério atravessará a Paulo Coelho Machado, passando ao lado da área do estacionamento do shopping que, hoje, está em obras, e cruzando a Afonso Pena até a Rubens Gil de Camillo. As obras devem ser concluídas em março ou abril do ano que vem.

Ao lado da ruela, passa o Córrego Prosa, que será canalizado, assim como foi feito nas intervenções das avenidas Mato Grosso e Ricardo Brandão. Segundo a prefeitura, serão instaladas galerias de concreto de 3 metros de altura por 7 de largura, que substituirão os tubos metálicos, por onde passam as águas do córrego atualmente. Essa galeria passará por baixo do estacionamento do Shopping Campo Grande, local onde as obras já ocorrem.

Interdição
A Avenida Paulo Coelho Machado (antiga Furnas) deve ser interditada somente após as festas de final de ano para que sejam feitas as intervenções.

Iniciada em 3 de agosto deste ano, a intervenção antienchentes na região integra pacote de obras emergenciais financiada com recursos do Ministério da Integração Nacional e está orçada em R$ 4 milhões.

Leia Também