domingo, 22 de julho de 2018

FUTEBOL

Após fiasco, Palmeiras assume crise e fala em prejudicar o Corinthians

26 NOV 2010Por ESTADÃO07h:50

Vergonha, raiva, tristeza, irritação. Os sentimentos se misturaram depois do fiasco palmeirense no Pacaembu, quarta-feira. A derrota para o Goiás - e a consequente eliminação na Sul-Americana - vai promover uma série de mudanças no clube. Mas antes de pensar em 2011 é preciso terminar o ano. E ajudar o rival Corinthians é a última coisa que torcida e diretores imaginam. 

Wlademir Pescarmona, diretor de futebol, era um dos mais indignados no vestiário do Pacaembu, já na madrugada de ontem. O discurso politicamente correto adotado por muitos ficou de lado, e ele afirmou que não quer ver o Corinthians campeão brasileiro justamente após os fracassos palmeirenses. Se o Alviverde ganhar do Fluminense no domingo, em Barueri, o rival alvinegro pode assumir a liderança do Brasileiro, a uma rodada do fim. "Por mim, o time nem entrava em campo. A gente dava WO."

A madrugada foi de revolta. Ainda no estádio, todos procuravam achar uma explicação para o tropeço e muitos desabafaram. O clima no clube anda ruim e tende a piorar. Em janeiro haverá eleições e a situação está rachada. Ninguém sabe quem comandará o Palmeiras nos próximos dois anos.

Luiz Gonzaga Belluzzo retorna à presidência no pior momento. Sua licença médica expirou ontem - ele ficou 60 dias afastado - e a ideia era voltar com o time na final da Sul-Americana. Sua missão agora será acalmar os ânimos de todos. Não só de jogadores, mas dos próprios cartolas. "Nossa folha salarial é de time europeu, mas o futebol apresentado é de time de Segunda Divisão", comentou, inconformado, Pescarmona. "O time amarelou."

A programação alviverde mudou após a derrota e o treino de ontem foi cancelado. O elenco se reapresenta hoje e a conversa com Felipão será longa. Alguns jogadores, aliás, preferiam ficar em casa.

O treinador havia sinalizado que anteciparia as férias dos titulares, caso a eliminação viesse. Tudo indica que Felipão realmente fará isso. Os atletas que atuaram na quarta-feira não querem mais saber de jogar na temporada. "Sinceramente, acho que podiam dar férias para a gente, até para fugir da pressão", declarou Kleber.

Fica difícil acreditar que o Palmeiras entrará com força máxima contra o Fluminense. A rivalidade com o Corinthians é grande e só aumentou após as declarações do volante Elias, que ironizou no Twitter a derrota alviverde. "Alguém acha aí que eles lá vão jogar bola contra o Flu????", escreveu. O zagueiro Danilo também usou da sinceridade para falar dos próximos dois jogos da equipe. "Nosso objetivo era a Copa Sul-Americana. Não temos mais nada para fazer no Campeonato Brasileiro."



Leia Também