Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, terça, 18 de dezembro de 2018

SANTA RITA DO PARDO

Após enchente, ribeirinhos tentam voltar para as casas

17 MAR 2011Por CELSO SANTOS13h:16

Em Santa Rita do Pardo, cinco famílias que moram nas margens do Rio Pardo, na Fazenda Douradinha estão isoladas. Segundo Nivaldo Amaral, capataz geral da fazenda o nível do rio subiu de 8 a 10 metros acima do normal. Com o aumento no volume de águas oito casas e um barracão da fazenda foram alagadas.

Durante todo o final de semana, os funcionários trabalharam para retirar os móveis, que foram levados para a sede da fazenda que fica na parte alta da propriedade.

Um dos fatores que contribuiu para enchente do rio Pardo foi a abertura das comportas da Usina do Mimoso, instalada no município de Ribas do Rio Pardo, por conta das chuvas. A população que mora abaixo da barragem e às margens do rio foi afetada.

Os funcionários alegam que a informação sobre a abertura das comportas da usina chegaram tarde à fazenda, quando as casas já estavam cheias de água. Os funcionários dizem que se o aviso tivesse chegado antes, daria para socorrer os móveis e reduzir os prejuízos.

Os moradores estão ilhados, pois a ponte de madeira que liga a fazenda ao município está coberta pela água, e a estrutura foi comprometida.

O transporte é feito de barco e as crianças estão sem aulas por conta da suspensão do tráfego de ônibus escolares. São 35 linhas que não estão trafegando por conta do excesso de chuvas na estrada e as aulas estão suspensas por tempo indeterminado.

Os moradores receberam a visita de um agente de vetores, de Santa Rita do Pardo que borrifou com venenos as casas para evitar o risco de possíveis doenças trazidas pelas águas.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também