Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

INDICAÇÃO

Após duas negativas, Senado aprova novo diretor-geral da ANTT

Após duas negativas, Senado aprova novo diretor-geral da ANTT
19/02/2014 18:45 - FOLHA PRESS


O diretor-geral da ANTT (Agência Nacional de Transporte Terrestre), Jorge Bastos, teve seu nome aprovado para ser reconduzido ao cargo. A aprovação aconteceu numa comissão prévia de análise do Senado. Para terminar o processo de recondução, Bastos terá que ter seu nome aprovado no plenário da casa, o que deverá ocorrer em breve.

Bastos teve seu nome aprovado por unanimidade de 21 senadores presentes após sabatina que durou cerca de duas horas. A tendência é que seu nome também seja aprovado com certa facilidade no plenário do Senado, mesmo com a votação sendo secreta nesse colegiado.

Jorge Bastos é o terceiro nome que o governo envia ao Senado para ocupar esse cargo desde 2012. O primeiro, Bernardo Figueiredo, teve seu nome aprovado na comissão no início de 2012. Mas, no plenário, acabou tendo o nome rejeitado no que foi a primeira derrota importante do governo no Congresso durante a gestão da presidente Dilma Rousseff.

Após Bernardo Figueiredo, a presidente tentou emplacar no cargo o ex-ministro dos Transportes, Paulo Passos. Mas Passos nem chegou a ser sabatinado. O governo foi informado sobre a resistência dos Senadores sobre seu nome e retirou a indicação no meio do ano passado. Passos acabou nomeado presidente da EPL (Empresa de Planejamento e Logística), cargo então ocupado por Figueiredo, que deixou o governo.

Diferentemente dos outros dois, indicações diretas da presidente Dilma, Bastos é indicado pelo PMDB do Senado. Ele foi assessor de seu presidente, Renan Calheiros. Na sua primeira indicação para a ANTT, o governo sofreu críticas por ele não ter relação com o setor: dirigia uma equipe de basquete no Distrito Federal.

A ANTT tem cinco diretores e, desde a rejeição de Bernardo Figueiredo em 2012, o governo vem mantendo diretores nomeados provisoriamente (que não são sabatinados pelo Senado) na agência. Devido a essa situação, Bastos acabou sendo nomeado diretor-geral do órgão em 2013. Seu desempenho à frente da agência tem agradado empresários do setor num período em que o governo estava com dificuldades para deslanchar o processo de concessão de ferrovias e rodovias, o que facilitou sua indicação para um novo mandato na agência.
 

Felpuda


Vêm aumentando que só os disparos de segmentos diversos contra cabecinha coroada que, até então, acreditava voar em céu de brigadeiro. O novo coronavírus chegou, ganhou espaço, continua avançando e atualmente tem sido o melhor cabo eleitoral dos adversários. A continuar assim, sem ações mais eficazes, o estrago político poderá ser grande. Observadores mais atentos têm dito que o momento não é de viver o conto da “Bela Adormecida”. Só!